Brawn vê Hamilton no auge da carreira: "É um domínio que vemos apenas uma vez na vida"

Redação Motorsport.com
·3 minuto de leitura

No domingo (16), Lewis Hamilton garantiu a conquista de seu hepta na Fórmula 1 em grande estilo, com a vitória no GP da Turquia. O domínio que o piloto teve sobre seu carro e o gerenciamento de pneus em meio à problemática pista de Istambul chamou a atenção de todo o paddock, especialmente do diretor-esportivo da F1, Ross Brawn, que afirmou que o britânico está no auge de sua carreira.

Hamilton largou apenas em sexto no GP da Turquia e, apesar de rapidamente subir para terceiro, um erro o fez perder novamente posições, tendo que avançar pelo grid uma posição por vez. E, diferente da maioria de seus rivais, não entrou para uma segunda parada, mantendo um jogo de intermediários por quase 40 voltas sem perder rendimento.

Leia também:

Perez: Racing Point não interferiu na disputa pela liderança do GP da Turquia Pelé, Rosberg e mundo do esporte celebram hepta de Hamilton: "Uma das maiores conquistas da história do esporte" F1: Erro de ajuste na asa dianteira prejudicou Verstappen no GP da Turquia

Em sua tradicional coluna pós-GP, publicada no site oficial da F1, o diretor-esportivo da categoria, Ross Brawn, elogiou Hamilton e destacou as principais qualidades do piloto.

"Hoje ele nos mostrou porque é um talento excepcional. Estou sempre ligado aos comentários que ele faz ao longo da corrida, sugerindo que as coisas não estão bem, que é um bom entretenimento, mas ele sempre entrega [bons resultados]".

Brawn falou sobre a estratégia traçada por Hamilton de não fazer a segunda parada e traçou semelhanças com o outro heptacampeão da categoria, Michael Schumacher.

"Na Turquia, apesar da Mercedes sofrer com o ritmo o final de semana todo, ele manteve a paciência, traçou uma estratégia e deu o seu melhor quando precisava. Ele fez os pneus funcionarem quando ninguém conseguia. Foi uma demonstração perfeita do que ele é: um heptacampeão".

"É um tipo de domínio que vemos apenas uma vez na vida. Eu fui abençoado por ver isso duas vezes. Tive a sorte de trabalhar com Lewis e Michael. São personagens diferentes, o que é maravilhoso. Lewis é diferente de Michael em como eles abordam as coisas. Mas, no centro de tudo, eles têm um talento divino".

O ex-chefe da Ferrari ainda afirmou que não é fácil apontar uma fraqueza de Hamilton e como ele teve que superar condições adversas para vencer na Turquia.

"É difícil apontar uma fraqueza em Lewis. Em alguns momentos ele parece ficar emotivo no rádio, mas a equipe sabe como lidar com isso através da calma de seu engenheiro Pete Bonnington. Bono não se deixa levar por nada que Lewis diz e é um grande apoio quando ele parece ficar animado demais. Todos na equipe trabalham muito bem juntos".

"A vitória no domingo não foi fácil. Ele não teve um carro para fazer a pole e desaparecer. Foi um final de semana desafiador para ele, por conta do clima, das condições e da pista. Claramente, a situação não estava favorável à Mercedes no começo, mas eles mantiveram o foco".

"Ele veio de mais abaixo no grid para vencer hoje. Ele vence quando não tem nenhuma oposição e vence quando tem em mãos um grande desafio".

"No momento, ele está no auge de sua carreira. E não consigo ver o momento em que sua forma vai começar a desaparecer".

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

PÓDIO: Chuva traz caos ao GP da Turquia, mas Hamilton se sobressai, vence e garante o hepta

PODCAST: O calendário 'pós-pandemia' da F1 2021 é o mais correto? Ouça o debate

Your browser does not support the audio element.