Brawn: F1 precisa usar o tempo extra para refinar regulamento de 2022

Adam Cooper
motorsport.com

Desde que a pandemia começou a atingir a Fórmula 1, a categoria tomou medidas visando a manutenção do esporte a médio prazo, além do adiamento da introdução do novo regulamento para 2022, cortando gastos das equipes a curto prazo. E, para o diretor esportivo da F1, Ross Brawn, a direção deveria aproveitar esse tempo extra para refinar sua proposta.

Segundo Brawn, o novo regulamento, que foi publicado em outubro do ano passado e lida com as áreas técnica e esportiva, ainda está aberto a revisões.

Leia também:

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Red Bull vai à Silverstone essa semana para testar atualizações e motor do carro de 2020Renault: aliança entre equipes de ponta e clientes na F1 deve acabar em 2022F1 lança iniciativa para promover diversidade no esporte

Brawn espera que a categoria aprenda ainda mais com o congelamento de desenvolvimento imposto nos carros atuais, que serão carregados para 2021 e que alguns elementos poderão ser incorporados em futuros regulamentos.

"Acho que podemos olhar para o regulamento e o seu futuro com base no que aprendemos", disse Brawn ao Motorsport.com. "Um aspecto interessante desse ano é o tempo extra que tivemos para reavaliar algumas áreas do novo regulamento que causavam preocupações às equipes".

"Nós não vamos perder esse tempo - não seria sensato não fazer nada por 12 meses, então por que não refinar o design do carro de 2022 enquanto ainda podemos? Ninguém está trabalhando nele ainda".

"Não seriam grandes mudanças, e sim coisas destacadas pelas pessoas como sendo ambíguos ou passíveis de um furo no regulamento".

"Vamos usar esses 12 meses para refiná-lo, e vamos fazer o mesmo com todos os regulamentos de 2022, vamos olhar para o que aprendemos nesse processo e ver o que pode ser usado".

Com o novo Pacto de Concórdia sem signatários e, portanto, sem um norte para a F1 a partir de 2021, em teoria, o novo regulamento técnico de 2022 deveria ser finalizado até 30 de junho, seguindo o Código Desportivo Internacional da FIA.

No ano passado, o mesmo prazo de junho havia sido aplicado quando as novas regras seriam introduzidas em 2021, apesar de ter sido estendido para outubro em votação unânime.

Foi apurado que não há planos de fazer o mesmo dessa vez, então grandes mudanças teriam que ser feitas até o final do mês.

"A governança para 2022 não foi acordada ainda, então seria o prazo do Código Desportivo Internacional. Mas a escrita é um pouco aberta, o que nos permite fazer mudanças nos detalhes, sem mudanças conceituais após o prazo".

VÍDEO: Live com Bia Figueiredo: rivalidades do kart e histórias com Piquet, Danica e Andretti

PODCAST: Entrevista com Christian Fittipaldi: os primeiros anos de carreira até os dias de F1

 

Your browser does not support the audio element.

Leia também