Brasileiros iniciam o Mundial de Optimist no quintal de Robert Scheidt

·2 minuto de leitura


A equipe brasileira de Optimist iniciou a disputa do Mundial da categoria, nesta sexta-feira, no Lago di Garda, na Itália, com três velejadores entre os Top 10. Os jovens Alex Kuhl, Lucas Freitas e Douglas Said conseguiram bons resultados nas duas regatas do dia, que teve média de 8 a 12 nós de vento.

A competição da classe de introdução à modalidade conta com 259 velejadores de até 15 anos de todo o mundo. As provas são divididas em várias flotilhas levando em conta o número alto de competidores.

O evento, que vai até 10 de julho, tem liderança provisória do norte-americano Gil Hackel após duas regatas disputadas. O time brasileiro tem ainda Luiz Felipe Giagio (42º) e Eduardo Zeitone (152º). Os treinadores dos velejadores brasileiros são Ricardo Paranhos e Rodrigo Amado.

- Dia foi longo na estreia do Mundial de Op. Mas foi muito bom, começamos com o pé direito, com vários atletas entre os primeiros nas duas regatas, Foi só o início, vamos trabalhar duro para seguir fazendo bons resultados até o final do campeonato - disse Ricardo Paranhos, team leader do Brasil no Mundial.

O Optimist é a porta de entrada da vela no mundo, tendo sido a base da maior parte dos campeões olímpicos e mundiais, como campeões olímpicos e mundiais Robert Scheidt, Martine Grael e Kahena Kunze.

Além do Mundial, a equipe brasileira disputou vários eventos internacionais e é formada por 24 atletas de 12 a 15 anos, sendo oito meninas e 16 meninos.

O Campeonato Mundial de 2021 é realizado no Lago de Garda, onde mora e treina o bicampeão olímpico Robert Scheidt. Nos próximos dias, o atleta embarca para Tóquio para sua sétima olimpíada.

Destaque no Mundial

O Brasil tem um histórico de destaque nessa competição, e em 2021 está com um forte time para buscar o campeonato mundial. O País já foi campeão mundial por equipes, e tem um time forte para buscar o bicampeonato em 2021.

Os destaques da equipe do Mundial em 2021 são Lucas Freitas (atual bicampeão Brasileiro), Alex Kuhl (2x vice-campeão brasileiro), Eduardo Zeitone e Luiz Felipe Giagio (vice-campeões brasileiros por equipe). Além destes, está Douglas Said, garoto de origem humilde, que teve sua vida transformada pela vela, vindo de uma comunidade carente de Ilhabela (SP)

- Os velejadores estão muito bem bem preparados para o Mundial. Isso mostra o desenvolvimento dos clubes, CBVela e Optibra, mas principalmente das famílias. Estamos entre os melhores do mundo - disse Marcus Amaral, secretário nacional da Optimist Brasil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos