Brasileiros deixam Irlanda, mas pedem benefício para desempregados no país

Yahoo Notícias
Na Irlanda, quem perdeu o emprego por causa da crise do coronavírus tem direito a um valor dado pelo Estado - mas é preciso estar no país (Foto: Niall Carson/PA via AP)
Na Irlanda, quem perdeu o emprego por causa da crise do coronavírus tem direito a um valor dado pelo Estado - mas é preciso estar no país (Foto: Niall Carson/PA via AP)

Durante a crise do coronavirus, a Irlanda está oferecendo uma ajuda a todas as pessoas que perderam o emprego por causa da pandemia. O valor é de 350 euros, o que equivale a quase R$ 2.200, por semana e o benefício se estende por três meses.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

No entanto, algumas pessoas tentaram burlar o sistema: estrangeiros deixaram a Irlanda para voltarem ao país de origem durante a crise e, mesmo assim, pediram o benefício. O governo irlandês, inclusive, descobriu que a maior parte dessas pessoas eram brasileiras.

Com a verificação de que os cidadãos estavam fora da Irlanda, o governo evitou gastar um milhão de euros com cerca de 250 pessoas. As informações são do jornal irlandês Irish Daily Mail.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

O Departamento de Proteção Social fez uma operação para checar as informações que todas as pessoas que deixaram o país. Muitos brasileiros que viviam na Irlanda perderam o emprego durante a crise do coronavírus e decidiram voltar ao país de origem. Mesmo assim, optaram por pedir o auxílio desemprego oferecido pelos irlandeses.

Caso uma pessoa fique três meses desempregada, pode receber 4.200 euros, equivalente a cerca de R$ 26.300.

Leia também

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Ao jornal, uma fonte envolvida na explicação explicou a situação. “Claro que eles (brasileiros) podem receber o pagamento de seguro social, mas não se eles não estiverem morando no país”, afirmou. “Não é aceitável que eles voltem a morar no Brasil e recebeu 350 euros por semana na conta do governo irlandês por três meses.”

Fontes afirmam que a maior parte dos brasileiros que tentaram burlar o sistema da Irlanda eram estudantes, que estavam no país para estudar e trabalhar.

Leia também