Brasileiro relata treinos para o Arnold e sonha com Mr. Olympia

Vida e Tal
·2 minuto de leitura


Marcelo Cruz, 35 anos, é um apaixonado por esportes e não nega seu espírito competitivo. Foi atleta profissional de handebol, no entanto, uma lesão no joelho o afastou do esporte. Apesar disso, o atleta não desanimou e optou por outro caminho. Personal trainer, Marcelo seguiu para o mundo do fisiculturismo, onde compete na categoria bodybuilder acima de 100kg. O começo na prática da modalidade deu resultados e os diversos títulos conquistados desde então foram resultado de anos de treinamento.

- Iniciei na prática do fisiculturismo quando estava treinando na academia e ouvi um aluno dizendo que iria competir, então decidi tomar o mesmo rumo. Daí em diante, começou essa paixão pelo esporte e o que me motivou foi querer conhecer o mundo. Eu já era personal trainer na época, então achei que iria agregar muito para minha vida. Antes do fisiculturismo, eu era atleta profissional de handebol, mas tive uma lesão no joelho e precisei parar de jogar. Eu sempre tive o espírito competitivo, então uni o útil ao agradável ao partir para o fisiculturismo, porque pude aprender ainda mais sobre minha profissão de personal trainer - destacou o atleta da Darkness.

Campeão brasileiro pela NABBA e WFF Overall, bicampeão sul-americano NABBA Overall, vice-campeão Mister Universe NABBA, campeão Overall sul-brasileiro, campeão Overall mister Santos, vice-campeão do Arnold Classic Brasil profissional, campeão Overall musclecontest nacional, 10º lugar no Romênia Pro e 11º colocado no Europa Pro. Com esse currículo, Marcelo Cruz quer ainda mais conquistas e tem como meta o Arnold Classic Brasil, em outubro, e o grande sonho de disputar o Mr. Olympia, "Copa do Mundo do fisiculturismo".

- Esse ano os planos estão totalmente focados no Arnold Classic Brasil, que será realizado em outubro. Mas meu maior sonho mesmo é conseguir a vaga para disputar o Mr. Olympia. Estou trabalhando firme, diariamente, para buscar desse grande objetivo - projetou o atleta, que por fim, falou sobre os seus treinamentos em meio à pandemia.

- Graças a Deus, consegui manter minha forma normalmente, contei com a ajuda de amigos que são proprietários de academia e, com isso, consegui ter um lugar para treinar. A pandemia atrapalhou no sentido de muitos shows terem sido cancelados, e aí você fica na incerteza de iniciar uma preparação ou não, porque não sabe quando as coisas vão voltar ao normal. Então, a gente precisa ter a mente bem focada, isso é muito importante no fisiculturismo. Consegui me manter bem, focado, e prova disso é que consegui competir na Espanha e na Romênia, e tenho esperança de que os shows acontecerão normalmente no segundo semestre. Estou me preparando bem para isso" - concluiu.