Brasileiro na Coreia explica homenagem ao país: "perdi amigos para o coronavírus"

Goal.com

Júnior Negrão ganhou destaque no cenário brasileiro depois de seus dois gols na volta do Campeonato Coreano. Na comemoração de um dos seus tentos na vitória do Ulsan Hyundai sobre o Sangju Sangmu por 4 a 0, o brasileiro mostrou uma mensagem por baixo de seu uniforme: "Força Brasil!".

Em entrevista exclusiva ao DAZN, o veterano de 33 anos explicou como surgiu a ideia de mandar este recado.

"A ideia da comemoração surgiu porque, apesar de eu ser baiano, eu me mudei muito cedo e cresci em Manaus, um dos focos do coronavírus no Brasil. Então queria mandar força porque não é só o amazonense e o manauara, mas toda população brasileira tem sofrido muito com essa pandemia", disse.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Eu tenho acompanhado os números daí é a situação é bem preocupante. Tenho parentes que trabalham na área de saúde, já perdi amigos que foram infectados. Dadas as proporções, a gente já passou por isso aqui na Coreia. O que eu tento passar pra eles e o que efetivamente funcionou aqui", completou Júnior Negrão.

Desde 2017 na Coreia, o ex-jogador de Corinthians e Atlético-MG não imaginava o impacto que sua mensagem causaria.

"Eu realmente não esperava que tivesse essa repercussão toda", disse. "Isso me deixou feliz mesmo porque no momento tão complicado e delicado que estamos vivendo, uma palavra de motivação e esperança às vezes faz toda diferença".

O brasileiro também contou a experiência de atuar sem a presença de torcida.

"Acaba sendo diferente, muda muito a atmosfera do estádio. Mas, graças a Deus, pude fazer os gols e contribuir com a vitória. O mais importante foi a oportunidade de mandar esta mensagem para todo povo brasileiro que está sofrendo tanto com essa pandemia".

Sobre os protocolos estabelecidos pela K-League, liga coreana de futebol, Júnior Negrão destacou que tudo têm sido muito regrado. "Os protocolos têm sido bem rígidos. Começaram uns 10 dias antes do campeonato, com todos os jogadores da primeira e da segunda divisão sendo testados".

"Um dia antes do jogo, nós tivemos que medir a temperatura, no dia do jogo, pela manhã, também, e quando chegamos ao estádio medimos de novo. Quando acabou o jogo, repetimos isso. E um protocolo totalmente diferente do que era antes da pandemia e creio que isso deverá ser o novo normal nos jogos de futebol", concluiu.

Leia também