Brasileiro que atua na cidade epicentro do Coronavírus revela preocupação dos jogadores

Rafael está com a equipe em pré-temporada na Europa (Foto: Reprodução/ Instagram)
Rafael está com a equipe em pré-temporada na Europa (Foto: Reprodução/ Instagram)


O atacante brasileiro Rafael Silva, que já defendeu o Corinthians, relatou a angústia dos jogadores do Wuhan Zall, time da cidade de Wuhan, epicentro do surto do coronavírus na China, sobre notícias de seus familiares, já que a equipe está em pré-temporada na Espanha e não sabe quando vai retornar ao país asiático.

Além disso, Rafael afirmou que a equipe passa por exames diários para detectar possíveis sintomas da doença.

- Estou na Espanha há dez dias. Já o restante do time chegou na quarta. Nossa previsão é ficar em Sevilha até 18 de fevereiro e ver o que vai acontecer, caso a gente não tenha condições de voltar. Não tem mais voos para lá - disse o atleta ao jornal 'Folha de S.Paulo'.

O calendário do futebol chinês, assim como qualquer evento esportivo, está suspenso no país preventivamente. Os meios de transportes como avião e o sistema rodoviário foram suspensos e os 50 milhões de moradores de Wuhan e cidades vizinhas vivem em esquema de quarentena, com limites impostos para sair de casa.

- Os jogadores estão muito preocupados. A família deles está em casa e quase não pode sair, a não ser dentro de horário definido. Se é para fazer compras, precisam ir em mercados que têm entrada subterrânea - disse o atleta.









Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também