Brasileiro do UFC tem "afundamento de ossos” após luta

Deiveson Figueiredo participou do UFC 283, no Rio de Janeiro, no último sábado e levou a pior na disputa do cinturão.

Deiveson Figueiredo participou do UFC 283, no Rio de Janeiro, no último sábado e levou a pior na disputa do cinturão.
Deiveson Figueiredo participou do UFC 283, no Rio de Janeiro, no último sábado e levou a pior na disputa do cinturão. Foto: (Buda Mendes/Zuffa LLC via Getty Images)

Além da derrota para Brandon Moreno no UFC 283, disputado no último sábado no Rio de Janeiro, o lutador brasileiro Deiveson Figueiredo, que disputou o cinturão do peso-mosca (categoria até 56,7 quilos), teve graves lesões constatadas através de exames realizados no começo da semana. Seu olho direito ficou completamente fechado após ter recebido diversos golpes durante o confronto. Os médicos do UFC não permitiram que a luta fosse continuada por causa dos danos.

Em nota emitida pela assessoria de Deiveson, assinada pelo médico Rogério Penin, foi informado que o lutador do Pará sofreu "fratura com afundamento de ossos nasais", tendo de ser afastado por cerca de seis meses das atividades físicas. A Comissão Atlética Brasileira de MMA anunciou a suspensão médica de: "180 dias ou liberado após nova tomografia facial; (suspensão) obrigatória por 45 dias".

Leia também:

O perfil oficial de Deiveson no Twitter foi usado para realizar a divulgação da nota médica do brasileiro: "Laudo feito no dia de hoje pelo atleta Deiveson Figueiredo, nosso campeão requer cuidados e está sendo cuidado de perto pelo Dr Rogerio Penin. Qualquer nova informação atualizamos".

Leia a nota médica completa sobre Deiveson Figueiredo:

"Nota sobre o estado de Deiveson:

O atleta Deiveson Figueiredo apresentou laceração de pálpebra inferior de olho direito a qual foi suturada ainda no Rio de Janeiro.

Após avaliação e realização de tomografia computadorizada em Belém foram constatadas fratura com afundamento de ossos nasais e grande edema nos planos músculo-adiposos adjacentes , sangramento subconjuntival e intraocular (hifema) de olho direito .

A fratura terá provável resolução cirúrgica - após avaliação da cirurgia plástica no dia de amanhã - e seu afastamento de treinos terá um prazo mínimo de 6 meses, onde será reavaliado para uma precisão maior de datas.

Belém, 23 de janeiro de 2023

Dr. Rogério Penin

Médico Oftalmologista".