Brasileiro denuncia insultos racistas em jogo de futsal em Portugal

Ciro denunciou preconceito da torcida adversária em partida de futsal (Foto: Reprodução)
Ciro denunciou preconceito da torcida adversária em partida de futsal (Foto: Reprodução)


O brasileiro Ciro Fernando, jogador de futsal do Burinhosa (POR), declarou ter sido vítima de insultos racistas em partida no último sábado, contra o Modicus. Ele afirmou que ouviu gritos de “macaco” da torcida adversária, durante o jogo válido pela fase de 16 avos de final da Taça de Portugal. Ciro denunciou o caso em nota de repúdio na sua página do Facebook, e acrescentou que as autoridades ignoraram o ocorrido.

- A torcida se manifestava e gritava de forma desrespeitosa e preconceituosa com xingamentos de “macaco”. As autoridades competentes nada fizeram, ignorando o mal feito e a total falta de respeito. Cor, raça ou nacionalidade não interferem no meu profissionalismo. Respeito é o que qualquer pessoa merece!

Em resposta, o Modicus emitiu comunicado para prestar solidariedade ao brasileiro. O time de Sandim também ressaltou que não tem qualquer relação com o caso.

- O clube está disponível para colaborar com as autoridades na apuração dos fatos. Tais atitudes não combinam com os princípios éticos e de fair-play do nosso clube.

Ciro tem 29 anos, atua como fixo e vive desde 2008 em Portugal, onde construiu toda sua carreira no futsal. O jogador chegou nesta temporada ao Burinhosa, clube da primeira divisão que tem outros cinco brasileiros no elenco: o goleiro John Welton, os alas Marquinhos, Adriano Lemos e Matheus e o pivô Rick.

Confira a nota de Ciro na íntegra:

NOTA DE REPÚDIO

Venho por meio deste manifestar a minha tristeza e INDIGNAÇÃO sobre o ocorrido hoje no jogo entre Burinhosa vs Modicus no Pavilhão de Sandim pela Taça de Portugal, onde prestes a completar 12 anos no país e cidadão português , passei pelo cenário de RACISMO, onde a torcida do time adversário ( Modicus) se manifestava e gritavam de forma desrespeitosa e PRECONCEITUOSA com xingamentos de MACACO a minha pessoa. Onde as autoridades competentes nada fizeram ignorando o mal feito e a total falta de respeito. O RACISMO É CRIME e o meu PROFISSIONALISMO não interfere na minha cor, raça ou nacionalidade. RESPEITO É O QUE QUALQUER PESSOA MERECE!! Tristeza define, onde ainda existam pessoas deste tipo.

Sem mais.
















Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também