Brasileiro conta como achou torcedor palestino no Catar e o ajudou a conhecer Tite

O encontro entre Tite e o torcedor palestino que ajudou sua família a carregar o neto do treinador no colo após a estreia da seleção na Copa do Mundo só foi possível pela atitude de um brasileiro.

Abraão Amisy Neto, Procurador de Justiça de Minas Gerais, deixava o jogo entre Portugal e Uruguai, quando Husam, o torcedor palestino, foi até ele gritando "Brasil, Brasil" no caminho para o ônibus.

Ao se deparar com o torcedor brasileiro, que por acaso vestia a camisa da seleção, e não do Vila Nova (MG), a sua de estimação, Husam mostrou o vídeo que viralizou com a cena que comoveu Tite.

Simulador: você decide quem será campeão da Copa do Catar

Tabela da Copa: Datas, horários e grupos do Mundial do Catar

- Na hora não compreendi. Vi que era um vídeo do Tite, e expliquei o que ele estava dizendo. Ele falou: "Sou eu". Na filmagem não aparecia o rosto dele, mas a compleição física era igual. Dei parabéns pela atitude. E disse que se o Tite falou isso o vídeo devia estar rodando o Brasil inteiro. Ele disse: "Como faço para encontrá-lo?" - contou Abraão, em contato com O GLOBO.

Em seguida, o torcedor brasileiro pediu para que Husam lhe mostrasse seu telefone de contato, que compartilharia nas redes para ver se alguém no Brasil poderia ajudar a promover o encontro. O contato chegou até Fernanda Bachi, nora de Tite, que reconheceu o palestino e mobilizou a CBF.

- Ela fez um comentário no meu Instagram, dizendo que estava emocionada. Passei a foto do contato dele e deu certo. Fiquei feliz, coisa boa. São gestos que passam sem a nossa percepção. Não é carregar uma criança, é demonstrar afeto - comentou Abraão, feliz com o desfecho.

Álbum completo: conheça todos os 831 jogadores da Copa

Ao vivo: Bastidores, informações e análises da cobertura direto de Doha

Encontro com Tite

O torcedor assistiu de perto o treino da seleção nesta terça-feira e conversou com Lucca com ajuda de um tradutor para perguntar ao pequeno quem era seu jogador favorito: a resposta foi Lucas Paquetá. Husam também aproveitou para registrar os momentos com o seu celular, e Fernanda escreveu: "Ele é muito fã da seleção brasileira". O palestino tirou foto com o treinador da seleção e ganhou uma camisa autografada por Tite e pelos jogadores. Ele foi acompanhado de uma mulher, também com a bandeira palestina, e os dois grupos tiraram uma foto juntos para registrar o momento. Na legenda, a nora de Tite destacou: "Espalhe o bem".

Na última quinta-feira, depois da estreia do Brasil, o torcedor palestino se ofereceu para carregar o pequeno Lucca, ao ver a dificuldade de Fernanda para levar o filho adormecido no colo. A mulher de Tite carregava o outro neto, Leonardo, e estava com a babá e a sogra, já cansadas também. O gesto, registrado e postado nas redes sociais por Fernanda, tocou Tite:

“Eu gostaria de conhecer o árabe, porque mostra um senso de solidariedade que transcende o futebol. Claro que queremos ganhar, que eu sou responsável por fazer o máximo para meu time ganhar, mas tem coisas que transcendem. O esporte tem lado humano, é um meio de confraternização e de respeito.”