Brasileiro 'burla' sistema do estádio e assiste jogo de abertura da Copa sem comprar ingresso

Ingresso que ajudou o brasileiro à entrar no jogo de abertura da Copa do Mundo (Foto: Thomas Polistchuk)


Enquanto uns perdem os ingressos no aplicativo da Fifa, outros conseguem de graça. Foi o caso de um torcedor brasileiro, que preferiu não se identificar. Em entrevista exclusiva à ESPN, o torcedor explicou como conseguiu assistir ao jogo de abertura da Copa do Mundo, no Qatar, sem ao menos ter comprado um.


Com um sorriso no rosto, o brasileiro explicou com detalhes a sua 'saga' para enrolar os seguranças e conseguir entrar no Al-Bayt para assistir a partida entre Qatar e Equador já com 15 minuutos de bola rolando.

+ Luxuoso: confira os brindes dados aos torcedores na estreia da Copa do Mundo 2022

- A caminho daqui, encontrei uns cambistas, que estavam vendendo ingresso por no mínimo 300 dólares (R$ 1,6 mil na cotação atual). E lógico que falei que não daria.

- Quando começou o jogo, eu fiquei em volta, de olho. Com 10, 15 minutos de jogo, vi um cara indo embora com a família. Conversei em inglês com ele e perguntei se ele poderia me dar o ticket dele para guardar de recordação. E aí ele me deu.

- Depois, fui para um outro acesso e, como o jogo já havia começado, entrei meio correndo, e o homem da verificação da primeira barreira fez um scanner no meu documento (que todos os turistas precisam para entrar no Qatar) e apenas bateu o olho no ingresso físico que o homem tinha me dado 'para recordação'. Meti o louco e entrei - explicou o brasileiro.

+ Uniforme da Holanda divide opiniões na web: 'Lindo ou horrível?'

Na base da 'enrolação', o brasileiro conseguiu convencer os seguranças com o argumento de que precisou sair do estádio para entregar o ingresso de um amigo e não sabia que não poderia voltar para dentro.

- Lá dentro precisa passar no portão que vem escrito no ticket. E aí, chegando no portão, deu sinal vermelho na hora que passei no scanner. E aí eu disse a um funcionário daquela área dos tickets que eu tinha saído para entregar um outro ingresso para um amigo que estava lá fora, e que eu não sabia que não poderia sair. Comecei a desenrolar, falei que não entendia muito inglês e que, por isso, não entendia as placas que avisavam que não poderia sair - explicou.

- Implorei tanto que consegui convencer. Fui para o portão, e esse replacement (ingresso substituto) passou no scanner. Aí consegui entrar no estádio - finalizou.