Brasileiro afasta parceiro de treinos de McGregor por tempo indeterminado da academia; entenda

Ícone da arte suave brasileira, Marcelo Garcia acumulou diversos títulos mundias de jiu-jitsu e de submission antes de abrir sua própria academia na cidade de Nova York (EUA). E foi no exterior que suas habilidades no tatame também lhe garantiram fama de excelente treinador, capaz não apenas de produzir campeões, mas de exigir deles conduta exemplar longe das competições.

Que o diga Dillon Danis, atleta que sempre que pode viaja para a Europa para ajudar o amigo Conor McGregor em seus treinos para lutas no UFC. Especialista na arte suave, o competidor de 23 anos, apontado como uma das grandes promessas do esporte nos EUA, foi afastado por tempo indeterminado do time de Marcel Garcia por não apresentar postura adequada, de acordo com o brasileiro.

O comunicado foi feito pelo próprio treinador, que preferiu não entrar em detalhes e, através de uma conversa com seus alunos, que foi gravada e publicada na internet nesta quinta-feira (14), avisou que Dillon e Mansher Kera (seu primeiro faixa-preta nos EUA) foram afastados do time por “não reproduzirem os mesmos valores que eu tanto prego”.

Em 16 minutos de conversa, Marcelo repetiu diversas vezes que preza demais pelo clima pacífico e de respeito mútuo entre os atletas e usou seu exemplo como competidor. Citando que sempre se esforçou para manter bons relacionamentos com seus rivais de competições, o veterano chegou a mencionar que lutadores das novas gerações “focam muito em redes sociais e fama”, e que os atletas afastados se envolveram em alguns incidentes recentes.

Apesar do clima de seriedade do anúncio, Marcelo garantiu que não expulsou nenhum dos mencionados. Sua ideia é que eles tirem um tempo para esfriar a cabeça, pensar no que fizeram e, no futuro, quando se sentirem a vontade, voltarem para conversar e colocar um ponto final em toda a polêmica.

Curiosamente, Dillon assinou contrato com o Bellator duas semanas atrás e, dando amostras de sua intenção no esporte, fez declaração polêmica logo de início garantindo que o card do evento programado para a cidade de Nova York, em junho, só teria sucesso caso ele fizesse parte.