Brasileiras podem fazer pódio triplo no atletismo; Yeltsin Jacques busca mais uma medalha

·1 minuto de leitura


Além da medalha de ouro de Claudiney Batista no lançamento de disco, o Brasil tem chance conquistar mais lugares no pódio no atletismo na manhã desta segunda-feira. Thalita Simplicio, Lorena Spoladore e Jerusa Geber vão disputar a final dos 100m rasos T11, enquanto Yeltsin Jaqcues vai à decisão dos 1.500m T11.

+ Judô: Alana Maldonado conquista medalha de ouro e Meg Emmerich fica com o bronze nas Paralimpíadas

Já com uma medalha de ouro na bagagem nos 5.000m, Yeltsin Jacques, da classe T11, de deficientes visuais, garantiu vaga na final do 1.500m com o melhor tempo entre as duas baterias (4m07s34). Na mesma prova, Júlio César Agripino, sofreu uma queda ao se chocar com o queniano David Korir e acabou não se classificando.

+ Mariana D'Andrea conquista o ouro no halterofilismo nas Paralimpíadas

Nas eliminatórias dos 100m rasos femininos, também para deficientes visuais, Thalita Simplicio fez o tempo de 12s38, Jerusa Geber correu para 12s41, enquanto Lorena Spoladore se classificou com 12s48. Os bons tempos das brasileiras dão esperanças de um pódio triplo a partir das 8h02 (horário de Brasília).

Poliana Jesus, do arremesso de peso, classe F54, para cadeirantes com sequelas de poliomielite, lesão medulas ou amputação, não conseguiu lugar no pódio. Na final da prova, a brasileira ficou na sétima colocação, com marca de 5,68m. Nos 400m T38 masculino, Edson Pinheiro desistiu de competir a prova antes da largada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos