Brasileira se prepara para o Mr. Olympia Amador 2020, em Las Vegas

Vida e Tal
·4 minuto de leitura


O fisiculturismo entrou na vida da brasileira Gabriela Consolmagno, 33 anos, 1,63m de altura, por acaso. Em 2015, ela morava em Piracicaba, trabalhava como gerente financeira de um grupo de quatro empresas e gostava de malhar, quando uma amiga a convidou a participar de um campeonato de bodybuilding no Brasil, apenas "por diversão". Ela se preparou, participou e se apaixonou pelo esporte. Hoje, Gabi, 66 kg, vive a expectativa de participar do Mr. Olympia Amateur - categoria Figure -, no dia 15 de dezembro, em Las Vegas. A competição esteve ameaçada de não acontecer por conta da pandemia do covid-19, mas foi confirmada.

Casada com o fisiculturista Emerson Secco - que atualmente é também seu técnico -, Gabriela lembra o início da carreira, Hoje, morando em San Diego, na Califórnia, desde 2016, ela fala sobre a sua preparação para o campeonato mais cobiçado e tradicional do universo bodybuilder.

- Depois de eu largar a profissão de gerente financeira, no Brasil, Eu e o meu marido queríamos viver a experiência do fisiculturismo com mais intensidade e resolvemos vir para os Estados Unidos em 2016 para estudar inglês e também estar mais perto do mundo do bodybuilder, que é muito intenso aqui - conta.

Gabi competia, no Brasil, na categoria Wellness, mas nos Estados Unidos não existia essa opção há quatro anos e, por isso, teve de mudar todo o corpo e se adaptar à categoria Figure.

- Eu tinha duas opções: iria para a categoria "Bikini" ou para a "Figure". Minha estrutura de corpo é muito grande. Fui pra bikini, mas não deu certo, e então tive de mudar todo o meu corpo para ir para a Figure. Na Figure, as pernas são menores, mais definidas e o "up body" maior, com ombros e braços fortes, o corpo tem o formato de Y. E categoria wellness, que era a minha, é o contrário: pernas e bundas grandes e a parte de cima pequena. Tive de trocar de lugar, mandar a parte grande pra cima e diminuir a de baixo. E foi o que eu fiz e estou assim nos últimos quatro anos.

Gabi vive a expectativa do seu terceiro Mr. Olympia e garante que essa tem sido sua melhor preparação.

- No primeiro campeonato como figure eu me preparei por um ano inteiro e o campeonato ocorreu em dezembro de 2016, o Excalibur. Fiquei em top 3 no meu primeiro campeonato aqui e foi bem motivador. Em março de 2017, eu competi em San Diego, ganhei, depois depois fui pra Los Angeles, ganhei na minha categoria, voltei a San Diego duas semanas depois, ganhei na minha categoria e ganhei na "overall", quando você ganha de todo mundo. Aí fui pra Las Vegas e competir no Mr. Olympia Amateur, maior competição mundial, com atletas do planeta inteiro eu fiquei em top 3. Competi novamente em 2019, mas eu não estava com a saúde muito boa, fiquei no top 6, depois competi em dezembro e fiquei top 2 de novo e aí veio 2020 e a gente decidiu que iria se preparar e focar só no Mr. Olympia. Mas a pandemia chegou e tudo ficou cheio de incertezas - conta a brasileira.

A partir de julho, com o afrouxamento das regras de isolamento nos EUA, ela voltou a treinar pesado e, desde setembro, vem dando mais atenção à alimentação. Agora, a quatro semanas do Mr. Olympia, já é hora de se preparar para "secar".

- Minha comida é basicamente ovo, tilápia, aspargos, carne, salada... Nos dias que eu treino parte superior, que é onde eu preciso desenvolver mais, eu uso carboidrato. Uso arroz de pré-treino e outro carboidrato de pós-treino. Nos dias que eu faço perna eu não consumo carboidrato, porque preciso diminuir ainda mais, preciso desgastar. Minha rotina de treino é costa, ombro, perna e glúteo. Repito costas e ombro e faço descanso - conta.

Ela revela um pouco da rotina dos treinos nesta fase final de preparação e diz que vai incluir nos treinamentos o método de massagem miofascial - uma técnica de pressão muito utilizada por fisioterapeutas para a prevenção e o tratamento de lesões e aumentar a capacidade de expansão muscular. Ou seja, ajudando, de fato, na hipertrofia.

- Faço cardio em jejum, cerca de 40 minutos em intensidade moderada, depois tomo meu café da manhã (2 ovos e espinafre), consumo vitaminas como óleo de peixe, magnésio, zinco, cálcio, vitaminas pró-fígado, vitamina D3, multivitamínico, remédio para ajudar no cortisol (para estresse), remédio para as juntas, CLA... Faço refeições a cada três horas, certinho. Treino normalmente à noite e agora estou investindo também nos treinos de pose, cerca de uma hora após os treinos na academia - conta.

Dez dias antes do Mr. Olympia, no dia 5 de dezembro, Gabi vai participar do Governador Cup, em Sacramento, como um pré-teste para o principal campeonato da modalidade.

- Quando a gente faz um campeonato antes do principal, a tendência é chegar mais seca. Estou bem focada. Se eu ganhar o Mr. Olympia, eu conquisto o meu cartão profissional e me torno uma atleta pro - diz a atleta, que é integrante do time Dragonpharma.

Gabriela durante competição
Gabriela durante competição

Gabriela durante competição (Divulgação)