Brasil treina no frio da Itália de olho no calor do Qatar

TURIM, ITÁLIA (FOLHAPRESS) - O segundo treino da preparação da seleção brasileira em Turim para a Copa do Mundo do Qatar contou com o grupo quase completo, depois de, na segunda-feira (14), somente 14 atletas terem ido para o campo -os demais, por terem jogado no fim de semana, fizeram trabalho de recuperação na parte interna.

Com o outono no hemisfério Norte e a localização de Turim relativamente próxima das montanhas dos Alpes, o treino ocorreu com temperatura abaixo de 10 graus Celsius e umidade acima de 90%.

Na mesma hora, em Doha, capital do Qatar, foram registrados 29 graus Celsius e umidade de 57%.

Antes das atividades, Tite conversou rapidamente com os jogadores, organizados em círculo. Estiveram presentes 25 atletas.

O zagueiro Marquinhos, que não atuou domingo pelo Paris Saint-Germain devido a um desconforto muscular, foi poupado na parte inicial da atividade e chegou depois de uma hora. Ele correu em volta do campo.

Em seguida, com os goleiros em treino específico, foram organizadas atividades com passagem de bola com dois grupos de dez atletas.

O zagueiro Bremer e o lateral direito Danilo, que jogaram domingo pela Juventus, ficaram separados, fazendo exercícios mais leves. O volante Casemiro, no fim do treino, realizou corridas individuais.

Neymar, que chegou a Turim com atraso, juntamente com Marquinhos, devido a um problema na aeronave, participou de quase todo o treino. Na parte final, dedicada a finalizações, ele deixou o gramado.

A seleção fica em Turim até sábado (19), quando viajará ao Qatar na parte da tarde -a chegada está prevista para as 23 horas, no horário de Doha (17 horas de Brasília).

Nesta semana, na Itália, estão programados treinos na parte da tarde, com exceção de sexta-feira, com atividade pela manhã.

No período, a delegação fica hospedada no J Hotel, parte do complexo esportivo da Juventus, onde também fica o centro de treinamento, na vizinhança do Allianz Stadium.

A cidade, Turim, é a mesma onde o Brasil jogou todas as suas partidas da Copa da Itália, em 1990.

Naquele Mundial, os três jogos da primeira fase e o das oitavas de final, quando a Argentina eliminou a seleção, aconteceram no estádio Delle Alpi, que foi demolido em 2009.

O atual estádio da Juventus foi inaugurado dois anos depois, na mesma área.