Brasil tem histórico recente favorável ao poupar titulares em Copas do Mundo

Juninho Pernambucano comemora o gol marcado contra o Japão, em 2006 (Reprodução twitter)


As lesões de Neymar, Danilo e Alex Sandro deram motivos para a comissão técnica do Brasil adotar a cautela diante de Camarões. Nesta sexta-feira, às 16h (de Brasília), a Seleção Brasileira vai entrar em campo com um time completamente reserva, já que a classificação está garantida para as oitavas de final. No entanto, o fato de poupar os titulares não diminui o favoritismo brasileiro e o histórico recente prova isso.

+ Quando e contra quem o Brasil joga nas oitavas de final da Copa do Mundo?

Neste Século o Brasil venceu os três jogos da fase de grupos em apenas duas Copas do Mundo: 2002, quando foi campeão, e 2006. Em ambas, a Seleção Brasileira poupou alguns titulares na terceira rodada e conseguiu resultados expressivos.

No jogo contra a Costa Rica, na Coreia do Sul, o técnico Luiz Felipe Scolari poupou Roque Júnior, Roberto Carlos e Ronaldinho Gaúcho, para as entradas de Anderson Polga, Júnior e Edílson. O Brasil venceu por 5 a 2 e o substituto do lateral-esquerdo ainda fechou o placar.

Já na Alemanha, em 2006, a Seleção Brasileira goleou o Japão por 4 a 1, mesmo poupando Cafu, Roberto Carlos, Emerson, Zé Roberto e Adriano. Entraram Cicinho, Gilberto, Gilberto Silva, Juninho Pernambucano e Robinho. O lateral-esquerdo e o meia balançaram a rede.

Dessa vez todos os titulares serão poupados. A provável escalação do Brasil terá Ederson; Daniel Alves, Éder Militão, Bremer e Alex Telles; Fabinho, Bruno Guimarães (Fred) e Rodrygo; Antony, Gabriel Jesus e Gabriel Martinelli.