Brasil sonha com a Rússia contra um Paraguai sem tempo a perder

Por Rosa SULLEIRO
(25 mar) O técnico Tite posa com torcedores após um treino da seleção brasileira no Morumbi

Há apenas um ano, Brasil e Paraguai se enfrentaram pela última vez, mas, para a seleção, parece que uma vida inteira se passou. Agora, aquela seleção que saiu ferida de Assunção pode se tornar a primeira equipe classificada para a Copa do Mundo de 2018, nesta terça-feira pela 14ª rodada das eliminatórias sul-americanas.

Líder da competição com 30 pontos, o Brasil de Tite pode chegar à oitava vitória seguida contra o Paraguai, em São Paulo, o que deixaria a equipe praticamente garantida no Mundial russo.

O Brasil poderá confirmar a vaga com quatro rodadas de antecedência, mas para isso terá que vencer o Paraguai e torcer para o Equador perder para a Colômbia e a Venezuela surpreender o Chile.

A combinação de resultados é complicada, mas mais difícil parecia a reação da amarelinha, que há seis meses estava deprimida e em pouco tempo se reergueu e ultrapassou todos os rivais.

Depois da grande noite no estádio Centenário, onde goleou o Uruguai por 4 a 1, Neymar e companhia venceram a sétima partida seguida nas eliminatórias, superando recorde do time que seria campeão em 1970.

Com 22 gols marcados e apenas dois sofridos depois da estreia de Tite, em setembro, o time parece ter reconquistado a torcida a cada vitória e boa exibição.

Quase 13 mil espectadores compareceram ao treinamento aberto ao público, no sábado, para cantar e ver os ídolos de perto. Por outro lado, o grupo tenta minimizar o entusiasmo e o clima de euforia, lembrando os fantasmas do recente passado.

"Para vencer, é preciso ser humilde e respeitar o adversário. Tite sempre repete que temos que merecer vencer. Isso é ser humilde. Enquanto não tem nada definido, é preciso manter os pés no chão", afirmou o zagueiro Marquinhos, do Paris Saint-Germain.

Além do Paraguai, o Brasil vai enfrentar na terça-feira outro rival que traz lembranças não tão boas. A seleção vai voltar à Arena Corinthians, onde há três anos disputou a partida de abertura da Copa de 2014, que acabou com o fiasco contra a Alemanha. O estádio, porém, é quase uma segunda casa para Tite, idolatrado por sua passagem no clube paulista.

"Vai ser um jogo difícil, porque o Paraguai ainda tem chances de se classificar. No primeiro jogo lá, empatamos no final, então estou certo que vai ser muito intenso", destacou Philippe Coutinho, atacante do Liverpool.

Daniel Alves vai desfalcar a equipe, devido ao segundo cartão amarelo recebido em Montevidéu. Para seu lugar, Tite convocou Mariano, lateral direito do Sevilla, mas quem deve assumir a titularidade é Fagner, velho conhecido do treinador e jogador do Corinthians. Roberto Firmino vai ocupar a vaga do machucado Gabriel Jesus por mais uma oportunidade.

- Sem complexos -

Mas depois da importante vitória em casa contra o Equador, o Paraguai viaja à São Paulo sem tempo a perder. Sétimo colocado nas eliminatórias, com 18 pontos, os Guaranis estão a dois pontos da repescagem e a três da zona de clasificação direta para a Rússia.

Uma derrota na capital paulista, combinada com bons resultados de Chile e Colômbia, poderia ser fatal para as aspirações da equipe comandada por Francisco Arce, que não participou da última edição em 2014.

"Temos que jogar sem medo. Temos futebol para jogar em qualquer terreno. É possível vencer quando você sai para buscar o resultado", afirmou o meia do Olimpia Cristian Riveros.

Com dúvidas em relação ao time titular, Arce pode mudar a equipe que superou os equatorianos.

"Sabemos que o Brasil é o melhor time, mas nós temos que nos concentrar em fazer o nosso trabalho e entrar para jogar de igual para igual, como fizemos contra a Argentina", garantiu o meia Richard Ortiz, lembrando da surpreendente vitória fora de casa contra os 'hermanos'.

O jogo vai ser realizado às 21:45h, pelo horário de Brasília, na Arena Corinthians. O trio de arbitragem vai ser liderado pelo peruano Víctor Carrillo, acompanhado dos compatriotas Jonny Bossio e Coty Carrera.

- Prováveis escalações:

Brasil: Alisson - Fágner, Marquinhos, Miranda, Marcelo - Casemiro - Paulinho, Renato Augusto, Philippe Coutinho, Neymar - Roberto Firmino.

Treinador: Tite.

Paraguai: Anthony Silva - Darío Verón, Bruno Valdez, Paulo Da Silva, Junior Alonso - Juan Iturbe, Néstor Ortigoza o Rodrigo Rojas, Cristian Riveros, Miguel Almirón - Cecilio Domínguez, Darío Lezcano.

Treinador: Francisco Arce.