Brasil prepara avião, mas Índia diz que é "cedo demais" para exportar vacinas

·1 minuto de leitura
A health department official holds a vial containing Covishield vaccine at the Regional Vaccine store in the Civil Surgeon Office in Amritsar on January 14, 2021. (Photo by NARINDER NANU / AFP) (Photo by NARINDER NANU/AFP via Getty Images)
Funcionário da Saúde na Índia mostra uma amostra da Covidshield, vacina produzida na Índia (NARINDER NANU/AFP via Getty Images)

O jornal indiano "The Times of India" noticiou que o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores daquele país, Anurag Srivastava, disse nesta quinta-feira ser "cedo demais" para garantir que a Índia vá conseguir disponibilizar a outros países doses do imunizante de Oxford, produzidas localmente pelo Serum Institute. Segundo ele, o país tem como prioridade imunizar sua população, o que está marcado para começar neste sábado (16).

A declaração contraria os planos do governo brasileiro, que marcou para a próxima quarta-feira (20) o início da vacinação no Brasil, caso a Anvisa aprove, no domingo, o uso emergencial das vacinas da AstraZeneca/Oxford e a CoronaVac. As duas milhões de doses do imunizante que virão da Índia estão nos cálculos do governo para garantir o início da vacinação.

Leia também

O avião que irá buscar as doses saiu nesta quinta-feira de Campinas (SP) e está em Recife (PE). A previsão é que ele decole nesta sexta com destino a Mumbai para trazer as vacinas. A previsão inicial era que ele seguisse para a Índia nesta quinta, mas a operação foi adiada, segundo o governo, por "questões logísticas internacionais".

No fim da noite desta quinta, questionado pela reportagem do GLOBO, o governo brasileiro afirmou que "está tudo bem encaminhado para que as vacinas possam chegar ao Brasil no início da próxima semana, respeitadas as circunstâncias da Índia".

* Com informações da Agência O Globo