Brasil precisa de equilíbrio para mostrar alto nível diante da Argentina, diz Tite

·2 minuto de leitura
O técnico do Brasil, Tite, durante a partida das eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar 2022 contra o Chile, no Estádio Monumental de Santiago, em 2 de setembro de 2021 (AFP/CLAUDIO REYES)

O Brasil precisa ter "equilíbrio" para desenvolver um alto nível no clássico das Eliminatórias Sul-americanas para a Copa do Mundo de 2022 contra a Argentina neste domingo em São Paulo, afirmou o técnico da seleção brasileira, Tite, neste sábado.

"o aspecto físico, mental, técnico, tático tem que ser equilibrado em seu alto nível para que o desempenho possa estar na plenitude e assim ficar muito perto da vitória", disse o treinador de 60 anos em coletiva de imprensa virtual em São Paulo.

O técnico da seleção, líder das eliminatórias com sete vitórias em sete jogos, disse que o jogo contra a Argentina, vice-líder, com quinze pontos, é "especial".

"Eu cresci com Brasil e Argentina sendo um jogo diferente", afirmou.

O clássico de domingo será o primeiro desde que a 'Albiceleste' venceu a seleção brasileira na final da Copa América-2021, no Maracanã, em julho.

Para o jogo eletrizante e para o restante da rodada tripla, os pentacampeões mundiais são os que mais sofreram com desfalques depois que algumas ligas europeias proibiram seus jogadores de viajar para a América do Sul devido ao fato de que, após seu retorno, eles teriam que se isolar durante vários dias devido ao protocolo anticovid.

O Brasil perdeu doze jogadores, nove deles da Premier League, incluindo seu capitão Thiago Silva. Por isso recorreu a jogadores que disputam o Brasileirão para se reforçar, com atletas experientes como Hulk e Miranda.

Tite pediu que o "bom senso" prevaleça para a rodada tripla de outubro para evitar uma ruptura na "relação de igualdade" entre as seleções, principalmente na preparação para o Mundial das seleções europeias e sul-americanas.

"Não está prejudicando o Brasil só. Também é de todas as equipes sul-americanas porque elas ficam despreparadas, ficam sem as mesmas preparações para os jogos do Mundial", acrescentou o técnico.

Mais cedo, o técnico da Argentina, Lionel Scaloni, pediu uma "posição clara" para evitar que a situação se repita.

"Vamos colocar em campo o que nós temos de melhor", disse o auxiliar técnico da seleção brasileira, César Sampaio, sem dar pistas sobre possíveis mudanças em relação à equipe que venceu o Chile por 1 a 0 na quinta-feira em Santiago.

O atacante Gabigol garantiu, entretanto, que o duelo no estádio Neo Química Arena, casa do Corinthians, não será uma chance de vingança após a derrota no Maracanã.

"As eliminatórias são outro momento, não é uma revanche", disse Gabigol, que junto com Neymar deverá liderar o ataque do Brasil contra a seleção de Lionel Messi.

raa/ma/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos