Brasil extradita golfista argentino acusado de agredir ex-mulheres

·1 minuto de leitura

O Brasil extraditou nesta terça-feira para a Argentina o jogador de golfe Ángel "Pato" Cabrera, que foi preso em janeiro no Rio de Janeiro sob acusações de violência de gênero, informou a Polícia Federal.

O argentino Cabrera e outro compatriota, acusado de feminicídio em seu país, foram levados do Rio de Janeiro para a cidade fronteiriça de Foz do Iguaçu, no sul do país.

“Os presos passaram a noite custodiados na Delegacia de Polícia Federal em Foz do Iguaçu/PR até a efetiva entrega, nesta terça-feira, 8 de junho, na ponte Tancredo Neves, na divisa com a cidade [argentina] de Puerto Iguazu", informou a polícia.

Embora o comunicado não especifique o nome de Cabrera, uma fonte próxima à investigação confirmou à AFP a identidade do atleta.

Cabrera, de 51 anos , jogou seu primeiro torneio internacional em 1997, venceu o US Open em 2007 e em 2009 se tornou o primeiro latino-americano a conquistar o Augusta Masters.

Ele foi denunciado por duas ex-esposas na Argentina por agressões e ameaças de morte e foi preso em território brasileiro em resposta a um mandado de prisão internacional emitido pela Interpol.

Em maio, a justiça brasileira autorizou a extradição de Cabrera, informou a polícia.

O Consulado Geral da Argentina no Rio de Janeiro acompanhou todo o procedimento de extradição e prestou assistência durante a prisão do atleta.

pr/mel/gfe/lca

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos