Batendo ponto - Brasil 1 x 1 Equador

·1 minuto de leitura
Brasil 1 x 1 Equador FOTO MB Media/Getty Images

Tite - corretamente - poupou de início Neymar (pela primeira vez foi banco e por lá ficou, diferente de outros dois jogos em que entrou como substituto nos 5 anos do treinador na Seleção); e não só o 10 ficou de fora, até para evitar receber seu 24o. cartão amarelo em 108 jogos pelo Brasil e ser suspenso das quartas: Danilo só entrou no segundo tempo (e no primeiro lance foi desatento no gol de empate de Mena); Thiago Silva deu lugar a Militão para marcar seu primeiro gol de cabeça pela Seleção; Alex Sandro também ficou de fora pelo cartão.

No meio-campo, Casemiro só entrou depois para deixar mais robusta a intermediária que estava sendo perdida na segunda etapa para o esforçado Equador. Fabinho (sempre muito eficiente) fez dupla com Douglas Luiz (na sua mais discreta partida das quatro que fez com Tite). No 4-2-4 (ofensivo) proposto pelo treinador, a Seleção começou com Paquetá pela direita mas articulando por dentro para abrir o corredor não explorado por Emerson, Gabriel Barbosa (um pouco mais enfiado, e ainda longe do ideal), Firmino (saindo mais da área e cada vez menos influente no jogo) e Everton (bem aberto pela esquerda).

O primeiro tempo brasileiro até foi bom. Saiu o gol, só concedeu uma chance em um tiro do meio-campo equatoriano. Mais nada. Como quase nada produziu o Brasil na segunda etapa. O Equador precisava do gol e fez. Depois recuou e foi garantir o resultado que a Seleção não conseguiu desempatar. Mesmo com Vinicius Jr. demorando a ser escalado, e até rendendo bem. 

No frigir das bolas, empate justo. E boa oportunidade desperdiçada pelos reservas brasileiros.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos