Brasil defende invencibilidade de 15 anos em clássico contra o Uruguai

A rivalidade centenária entre Brasil e Uruguai, duas das principais seleções de futebol do mundo, possui diversos capítulos de felicidade para ambos os lados. Nos últimos anos, no entanto, o lado canarinho do clássico tem tido mais alegrias. Em duelo marcado para esta quinta-feira, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, os brasileiros entram em campo para defender uma sequência de mais de 15 anos sem derrota contra os uruguaios.

O último revés da Seleção diante do Uruguai aconteceu no distante ano de 2001. Naquele dia 1º de julho, em Montevidéu, os uruguaios conseguiram levar a melhor sobre o Brasil em jogo das Eliminatórias da Copa e venceram pelo placar de 1 a 0, garantindo o triunfo com um gol de pênalti de Magallanes. Desde então, oito jogos foram disputados, com cinco vitórias da equipe canarinho e três empates.

Apesar de sofrer nos primeiros anos de confronto, quando o Uruguai era uma das principais potências do futebol mundial, o Brasil leva vantagem também no retrospecto geral. Em um total de 74 partidas disputadas, os brasileiros possuem 34 vitórias e 20 derrotas. Outros 20 empates completam o histórico de jogos entre as seleções.

As glórias brasileiras são muitas diante dos uruguaios, porém, os rivais sul-americanos conseguiram levar a melhor em diversos confrontos de extrema importância para a história do clássico. Entre estes está o primeiro confronto entre as equipes, realizado no dia 12 de julho de 1916. Na ocasião, Brasil e Uruguai mediram forças pela Copa América daquele ano, realizada na Argentina, e os rivais conseguiram se sobressair com uma vitória por 2 a 1, com gols de José Tognola e Isabelino Gradín. O lendário atacante Arthur Friendenreich descontou para o time canarinho.

Além da vitória no primeiro confronto entre as equipes, o Uruguai possui também a maior goleada da história do duelo. Em partida realizada no dia 18 de setembro de 1920, pela Copa América, os uruguaios venceram pelo placar de 6 a 0, com Romano e Pérez balançando a rede duas vezes cada e Urdinarán e Campolo fechando o largo triunfo.

A derrota mais dolorosa para os brasileiros, no entanto, foi o histórico Maracanaço. No jogo mais importante disputado pelas equipes em toda a história do confronto, o Uruguai entrou em campo para enfrentar o Brasil no duelo decisivo do Quadrangular Final da Copa do Mundo de 1950. Como a partida fechou a competição e somente as duas seleções tinham chance de título, o enfrentamento valeu como uma espécie de final do torneio naquele ano.

O Brasil entrou em campo naquela final como franco favorito e empurrado por um Maracanã com quase 200 mil torcedores. No entanto, as expectativas não confirmaram o que era esperado naquele dia 16 de julho e a Seleção Brasileira acabou derrotada de virada pelo placar de 2 a 1, calando a multidão de brasileiros presentes no estádio. O placar foi aberto por Friaça, no início do segundo tempo, porém, o Uruguai conseguiu a virada com gols de Schiaffino e Ghiggia para ficar com a vitória e garantir um histórico bicampeonato mundial.

Apesar do Maracanaço ficar marcado com o maior jogo da história do confronto entre Brasil e Uruguai, a Seleção Brasileira também teve seus momentos de glória em finais diante do rival, como na decisão da Copa América de 1999. A perfeita campanha da equipe canarinho, que venceu todos os jogos disputados, foi coroada com uma grande vitória por 3 a 0 diante dos uruguaios. Os gols do título, que foi o sexto da Seleção na história do torneio, foram marcados por Rivaldo (duas vezes) e Ronaldo.

Apesar de não enfrentar o Uruguai na final da Copa do Mundo em nenhuma outra ocasião, o Brasil conseguiu dar o troco no rival em Mundiais. Na Copa de 1970, no dia 17 de junho, as duas seleções se enfrentaram para decidir quem iria para a grande decisão do torneio e os brasileiros levaram a melhor. O adversário saiu na frente, com um gol de Cubillas, mas Clodoaldo, Jairzinho e Rivelino viraram o placar para garantir o triunfo por 3 a 1 e encaminhar a equipe canarinho ao tricampeonato.

Outro confronto histórico aconteceu recentemente e faz parte da atual sequência de oito jogos sem derrota para os uruguaios. Em jogo ocorrido no dia 6 de junho de 2009, pelas Eliminatórias da Copa de 2010, o Brasil foi até Montevidéu enfrentar o Uruguai e conseguiu o que foi a maior vitória da história da equipe canarinho diante da Celeste Olímpica em solo uruguaio. Com gols de Daniel Alves, Juan, Luís Fabiano e Kaká, a Seleção goleou por 4 a 0 e passeou diante do rival em pleno Estádio Centenário.

O último confronto entre as equipes aconteceu no último dia 25 de março de 2016, em Recife. Em duelo válido pelo primeiro turno das Eliminatórias da Copa de 2018, o Brasil recebeu o Uruguai, mas ficou apenas no empate em 2 a 2. Douglas Costa e Renato Augusto marcaram para o time brasileiro, mas Suárez e Cavani garantiram a igualdade aos uruguaios.