Brasil Bowl: T-Rex no embalo dos irmãos Reis na luta pelo título da Liga BFA

Richard Ferrari/T-Rex - Marlos (6) e Romário (17) estão em grande forma pelo T-Rex


No esporte não é incomum ver dois irmãos jogando a mesma modalidade. Contudo, são poucos os casos de jogadores com esse grau de parentesco serem relevantes na mesma equipe e no mesmo período. O T-Rex, que disputa o Brasil Bowl neste sábado (19/11), no Complexo Esportivo de Timbó-SC, tem a sorte de ter os irmãos Reis atuando no mais alto nível: o quarterback Romário e o wide receiver Marlos.

Os dois irmãos chegaram a Santa Catarina em 2018 vindos do Ceará Caçadores. Romário, de 28 anos, está no T-Rex durante este período, enquanto Marlos, de 26 anos, chegou a retornar aos Caçadores e também disputou algumas competições pelo Sorriso Hornets (onde foi bicampeão mato-grossense). Pouco antes da pandemia, o recebedor retornou ao time de Timbó e a parceria de sucesso da família Reis voltou a ser reeditada.

Em contato com a Valinor Conteúdo, os irmãos Reis explicaram como começaram no esporte. Além de Romário e Marlos, a família também tem o irmão mais velho Maykon Reis, que hoje está no Recife Apaches.

“Após assistir um resumo do Super Bowl XLIII (em 2009) meus amigos me convidaram (no dia seguinte) para jogar em um campo perto da escola. Ninguém sabia nada sobre o esporte, só queríamos jogar. A partir disso, criamos um time/rachão. No começo, o meu irmão Marlos só acompanhava os treinos para ficar dando risada de mim e do nosso irmão mais velho Maykon Reis. Mas, com o tempo, ele se apaixonou pelo esporte e começou a treinar com a gente. Nesta época, o Maykon tinha 15 anos, eu tinha 14 anos e o Marlos estava com 12 anos”, recorda Romário.

“Um amigo da escola apareceu com uma bola e chamou o pessoal para jogar. No começo, só ia para olhar e zoar o Romário por jogar um jogo que até então achava estranho e diferente. Mas, depois de alguns meses, resolvi aprender também. E, mais do que isso: jogar com meu irmão é sensacional”, afirma Marlos.

O sucesso dos irmãos Reis no FABR é evidente. Romário Reis foi convocado pela Seleção Brasileira, o Brasil Onças, enquanto Marlos Reis tem se transformado em um dos melhores wide receivers do país. De acordo com dados do Perfil do Instagram Mapa do FABR, o quarterback já fez 79 passes para touchdowns em sua carreira, sendo 17 para Marlos Reis. O wide receiver tem 32 touchdowns na sua trajetória. Os jogadores ressaltam a excelente conexão entre eles no campo de jogo.

“É a realização de um sonho que a gente vive desde que começamos. Para nós, sempre foi muito além do que apenas jogar. Sempre nos dedicamos para ser o melhor que podemos ser. Estou muito feliz com essa boa fase que estamos vivendo e acredito que tudo isso é fruto da nossa dedicação”, comenta o recebedor Marlos.

“Nós treinamos muito juntos desde criança. O Marlos sabe sentir o jogo e nossa comunicação é muito boa. Isso facilita na hora do jogo e é uma estratégia a mais para o arsenal do ataque”, destaca o quarterback Romário.

O sonho de ser campeão Brasileiro
Neste sábado (19/11), a partir das 15h, os irmãos reis terão a chance de conquistar a Liga Brasileira de Futebol Americano (Liga BFA), título inédito para o T-Rex e para a família Reis. A equipe catarinense busca o terceiro título nacional, uma vez que venceu o Torneio Touchdown (2015) e a Superliga (2016).

“Desde que a gente começou a jogar, nosso sonho sempre foi ser campeão brasileiro. Depois de muito tempo, temos essa oportunidade. Sábado vai ser um grande dia, tenho muita fé que vamos colher o fruto de todo nosso esforço”, destaca Marlos.

“Nossa preparação e nossa união é o nosso ponto forte e o ‘az no treino, faz no jogo’ tem que acontecer”, salienta Romário.
Sobre o adversário, os irmãos Reis sabem da qualidade do Galo FA, mas acreditam que o T-Rex tem totais condições de levantar a Onça (nome do troféu da Liga BFA) no Complexo Esportivo Timbó.

“Na nossa preparação é só mais um jogo, que estamos estudando e praticando muito para performar bem nesta decisão. O maior respeito que damos ao nosso adversário é a preparação. Sobre o título é sacrifício de se dedicar tanto a esse esporte, abdicação e pela minha família”, afirmou Romário.

“A expectativa é muito grande. É um jogo que sempre sonhei em jogar e acredito que cheguei até ele com o melhor grupo que já tive em todos esses anos: muita gente dedicada e um mesmo objetivo, que é conquistar a Liga BFA”, disse Marlos.

O restante da família Reis está espalhado pelo Brasil e não poderá acompanhar a final no estádio. Mas eles estarão na torcida na transmissão e torcendo para a vitória do T-Rex na grande decisão.