Brasil é favorito, mas Vlahovic vai explodir no Qatar, diz ex-jogador sérvio

MADRI, ESPANHA (FOLHAPRESS) - Os torcedores sérvios estão animados com as possibilidades da seleção nacional na disputa da Copa do Mundo deste ano, no Qatar.

Com os atacantes Aleksander Mitrovic e Dusan Vlahovic vivendo grande momento, a equipe balcânica buscará um desempenho melhor do que o obtido na Rússia, onde foi eliminada ainda na fase de grupos do Mundial.

"Nossa seleção pinta bem para a Copa. Temos um treinador muito bom, Dragan Stojkovic, e temos jogadores top em suas equipes como Mitrovic, Tadic, Savic, Vlahovic, que para mim será o melhor atacante do mundo dentro de um ou dois anos. Poucos atacantes têm a sua qualidade. E acho que na Copa ele vai explodir", afirmou o sérvio Milinko Pantic, ex-jogador da seleção da Iugoslávia e ídolo do Atlético de Madrid, em evento organizado em Madri por LaLiga.

A esperança que Pantic deposita em Vlahovic se dá pela boa temporada do atleta de 22 anos, que deu um salto na carreira na metade da disputa da Serie A italiana, quando trocou a Fiorentina pela Juventus.

O sérvio, que marcou sete gols em 14 jogos pelo clube de Turim, procura se adaptar ao novo entorno e confirmar a expectativa colocada sobre sua chegada à Juventus. Contando também seus gols pela Fiorentina, Vlahovic já anotou 23 vezes em 34 apresentações na Serie A --quatro a menos que o goleador do campeonato, Ciro Immobile, da Lazio.

Nesta quarta-feira (11), ele voltou a balançar a rede. Aproveitando rebote, marcou o segundo do time alvinegro no duelo com a Inter de Milão, na final da Copa da Itália. Àquela atura, a Juventus passou a vencer por 2 a 1. Mas o rival empatou e, na prorrogação, fechou o triunfo em 4 a 2.

Já na Inglaterra, ainda que se trate da segunda divisão, os números de Aleksandar Mitrovic impressionam. Em 44 confrontos da Championship pelo Fulham, campeão da liga e promovido à elite, o centroavante de 27 anos marcou 43 gols, recorde na história da competição em uma única temporada.

Tanto Vlahovic como Mitrovic --que disputou o Mundial de 2018-- terão o início da próxima temporada para manter o pé calibrado e chegar à Copa do Mundo do Qatar, em novembro, em boa forma física e técnica.

A Sérvia estreará na Copa diante do Brasil, no dia 24 de novembro. Será o reencontro entre as seleções depois da vitória brasileira por 2 a 0 há quatro anos, na Rússia, durante a primeira fase. Camarões e Suíça, outra adversária que compartilhou grupo com Brasil e Sérvia no último Mundial, completam a chave.

Milinko Pantic não chegou a jogar Mundiais com a então seleção de Sérvia e Montenegro, mas fez parte do ciclo classificatório para a edição de 1998, na França. Ele, que afirma que os sérvios gostam da alcunha e se reconhecem como "brasileiros do Leste Europeu", vê o grupo como difícil, mas acredita nas possibilidades dos balcânicos.

"No último Mundial, também estivemos com Brasil e Suíça no grupo. Dizem que Camarões é a quarta força, mas não é fácil, os suíços jogam bem, e o Brasil é favorito [a conquistar o título]. Mas creio que a Sérvia possa ser uma surpresa na Copa do Mundo", completa o sérvio, campeão espanhol e da Copa do Rei pelo Atlético de Madrid, hoje treinador.

O jornalista viajou a convite de LaLiga.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos