Bragantino vence Libertad (3-1) e vai à final da Copa Sul-Americana

·3 minuto de leitura
Fabricio Bruno (esq.) e Leo Ortiz comemoram a vitória sobre o Libertad no fim do jogo de volta das semifinais da Copa Sul-Americana, no estádio Defensores del Chaco, em Assunção, Paraguai, em 29 de setembro de 2021 (AFP/Jorge SAENZ)

O Red Bull Bragantino se classificou para sua primeira final continental ao vencer o paraguaio Libertad por 3 a 1 no jogo de volta das semifinais da Copa Sul-Americana-2021, disputado nesta quarta-feira no estádio "Defensores del Chaco", em Assunção.

Na partida de ida, o time paulista havia vencido por 2 a 0.

Os gols do Bragantino foram marcados pelo argentino Tomás Cuello (9 e 57) e Artur (82). O Lorenzo Melgarejo fez o único gol do time paraguaio (52).

Aos 16 minutos, o zagueiro do Libertad Diego Viera perdeu um pênalti.

O time de Bragança Paulista, fundado em 1929 e comprado pela Red Bull em 2019, vai disputar a final contra o vencedor do duelo entre Athletico-PR e Peñarol que será disputado nesta quinta-feira em Curitiba.

Os brasileiros abriram o placar aos 9 minutos com um gol do argentino Tomás Cuello em uma jogada individual que surpreendeu toda a defesa do "Gumarelo".

O mesmo atacante marcou o segundo gol aos 57 minutos, após jogada do meia Artur, acabando com as esperanças dos paraguaios que tinham renascido com um gol de Melgarejo. Artur fechou o placar desviando de cabeça aos 82 minutos.

- Cleyton fecha o gol -

A sede de gols dos paraguaios parou nas mãos de Cleyton. O goleiro brilhou no primeiro tempo e em parte do segundo. Aos 33 minutos, o atacante Melgarejo enganou três zagueiros e chutou na trave esquerda do goleiro brasileiro.

Três minutos depois foi a vez do lateral Camilo Mayada, cujo chute violento foi desviado por Cleyton, além de outros cinco chutes de Oscar "Tacuara" Cardozo, Julio Enciso e do próprio Melgarejo.

Aos 40, Cleyton voltou a aparecer para fazer uma defesa espetacular em uma bomba do jovem Enciso, de 17 anos.

Do outro lado, o goleiro uruguaio do Libertad, Martín Silva, salvou milagrosamente aos 42, após um tiro à queima-roupa de Eric Ramires.

No segundo tempo, os paraguaios comandados por Daniel Garnero voltaram a assustar a defesa do Bragantino mas Cleyton estava bem posicionado, como sempre.

Ele ainda conseguiu defender um disparo à queima-roupa do atacante Cardozo, aos 54 minutos.

O segundo gol de Cuello acabou desarmando os 'liberteños' enquanto os visitantes se agigantaram.

O terceiro, em um contra-ataque, foi marcado por Artur, aos 83 minutos.

Foi o golpe de misericórdia que derrubou de vez os paraguaios e colocou o Bragantino em uma final histórica.

--- Ficha Técnica

Estádio: Defensores del Chaco (Assunção)

Árbitro: Nestor Pittana (ARG)

Gols:

Libertad: Melgarejo (52)

Red Bull Bragantino: Cuello (9, 57), Artur (82)

Cartões amarelos:

Libertad: Vangioni (11), Bocanegra (38), Barboza (78), Viera (90+1)

- Escalações:

Libertad: Martín Silva - Camilo Mayada (Ivan Ramirez 65), Diego Viera, Alexander Barboza, Leonel Vangioni - Rodrigo Bogarín (Sebastian Ferreira Vidal 46), Hugo Martínez, Daniel Bocanegra, Lorenzo Melgarejo, Oscar Cardozo (cap) (Marcelo Benítez 65), Julio Enciso (Bautista Merlini 65). Técnico: Daniel Garnero.

Red Bull Bragantino: Cleiton - Aderlan Silva, Fabricio Bruno, Léo Ortiz (cap), Edimar (Luan Candido 77) - Artur, Bruno Praxedes (Natan Bernardo de Souza 56), Jadsom (Lucas Evangelista 76), Eric Dos santos Rodrigues, Ytalo (Gabriel Novaes Fernandes 67), Tomas Esteban Cuello (Hélio Junio 67). Técnico: Mauricio Barbieri.

hro/gfe/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos