Boxeador do 'dedo do meio' da Rio-2016 garante revanche com algoz

Yahoo Esportes
Michael Conlan mostra o dedo do meio em imagem que ganhou o mundo
Michael Conlan mostra o dedo do meio em imagem que ganhou o mundo

O invicto boxeador irlandês Michael Conlan, protagonista de polêmica na Olimpíada Rio-2016 que alterou os rumos do esporte e da entidade que o controlava, enfrentará seu algoz Vladimir Nikitin, neste sábado (14), em Nova York. A programação, encabeçada pela disputa do título mundial meio-médio, entre Terence Crawford e Egidius Kavaliauskas, terá transmissão ao vivo para o Brasil pela ESPN a partir das 23h.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM
SIGA O YAHOO ESPORTES NO FLIPBOARD

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Ganhou espaço na mídia internacional a imagem na qual Conlan mostrou os dedos do meio para os jurados, seguido pela entrevista na qual classificou como “corrupta” a gestão do boxe amador, logo após perder a quarta-de-final da categoria dos penas por decisão unânime, em um resultado bastante polêmico. Na ocasião, o pai de Michael, John, ao ser abordado por este blogueiro para comentar o resultado, respondeu: “ASSISTA A LUTA E ENTÃO ME DIGA SE [O RESULTADO] FOI ARMADO OU NÃO”.

Leia também:

Logo após a Rio-2016, dezenas de jurados que atuaram nos Jogos Olímpicos foram suspensos, e posteriormente o Comitê Olímpico Internacional retirou da Associação Internacional de Boxe a organização do boxe da Olimpíada de Tóquio-2020. Em seu lugar, formou um comitê para organizar o torneio.

De lá para cá, Conlan deixou o amadorismo e passou para o profissionalismo, mas sempre insistindo em uma revanche com Nikitin. Da mesma forma, o russo também virou profissional, e assinou com a Top Rank, promotora das lutas de Conlan, como caminho mais rápido para uma revanche, já que a discussão de que teria sido beneficiado por um suposto ato de corrupção dos jurados da Rio-2016 o incomoda também.

“Vladimir Nikitin e eu temos negócios inacabados da Olimpíada de 2016, e eu mal consigo esperar até 14 de dezembro para corrigir esta situação”, disparou Conlan durante eventos promocionais. “Há uma questão um pouco mais pessoal com essa luta do que com outras, queremos provar algo, algo com que temos convivido desde 2016, é algo do qual precisamos nos vingar, consertar, para Michael poder prosseguir [em sua trajetória]”, acrescentou o irmão mais velho, ex-lutador e manager de Michael, Jamie.

“Michael Conlan tem falado muito sobre mim e sobre nossa luta [da Rio-2016] nos últimos anos; isso acaba em 14 de dezembro”, contra-argumenta Nikitin. “Ele está amargo sobre nossa luta e não consegue aceitar o resultado, mas meu braço será erguido novamente.”

Segundo o manager de Nikitin, Egis Klimas, assinar com a Top Rank foi o melhor caminho para conseguir o que Nikitin mais quer, uma revanche com Conlan. “Ele é um lutador muito talentoso e empolgante e poderíamos ter assinado com outros promotores”, explica Klimas. “Mas a razão número um para termos assinado com a Top Rank foi assegurar que ele enfrente Conlan e apague as dúvidas sobre a Olimpíada.

Antes do polêmico duelo na Rio-2016, Conlan e Nikitin já haviam se enfrentado no Mundial de 2013, quando o russo foi declarado o vencedor por pontos. “O que aconteceu é que Michael lutava nos 52 quilos, nosso representante nos 56 quilos desistiu do Mundial e Michael subiu de peso e o substituiu; foi a primeira luta de Michael nos 56 quilos, e mesmo assim, assistimos o teipe e concordamos que Michael venceu.”

No profissionalismo, Michael está invicto com 12 vitórias, 7 por nocaute; Nikitin também está invicto em 3 combates. O duelo vale pelo título intercontinental dos penas da OMB (Organização Mundial de Boxe).

Siga o Yahoo Esportes

Twitter |Flipboard |Facebook |Spotify |iTunes |Playerhunter

Leia também