Boulos exalta campanha baseada na esperança: “Vencemos o projeto de ódio, atraso e mentira”

Anita Efraim
·2 minuto de leitura
Guilherme Boulos, (PSOL) candidate for Mayor of São Paulo, does leafleting and talks with the population on Rua 25 de Março, this Monday, November 9, 2020 in Sao Paulo, Brazil. (Photo: Roberto Casimiro/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)
Guilherme Boulos recebeu 20% dos votos e disputará o segundo turno com Bruno Covas (Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/Sipa USA via AP Images)

Na noite do último domingo, 15, com a confirmação de que estaria no segundo turno em São Paulo, Guilherme Boulos (PSOL), agradeceu aos eleitores que votaram com esperança. O mote da campanha do candidato à prefeitura de São Paulo é “a esperança vai vencer o ódio”.

"O que mais me contagiou nesse primeiro turno foi justamente que nossa campanha mostrou que é possível voltar a fazer política sem desistir da esperança", disse. A fala foi peita perto das 23h30 na garagem da casa do candidato, no Campo Limpo, zona sul da capital paulista.

Boulos ainda fez um chamado aos eleitores que querem mudança, em uma tentativa de receber votos que foram para outros candidatos. Ele chamou a própria campanha de linda e falou sobre o foco na periferia. “Foi além de apresentar um projeto ousado para São Paulo, um projeto com foco nas periferias, que estão abandonadas”.

Quando Covas se pronunciou, falou diversas vezes sobre derrotar o “radicalismo”. Em seu discurso, Boulos respondeu e afirmou que, para ele, radicalismo é a pobreza que há em São Paulo. “Radicalismo para mim é a cidade mais rica do país ter gente revirando o lixo para ter que comer. Radicalismo é no meio de uma pandemia manter hospitais fechados, ou parcialmente abertos”.

Leia também

“No segundo turno nosso desafio é essa onda de esperança tomar toda a cidade”, disse. Ele lembrou que, ao longo do primeiro turno, só tinha 17 segundos de TV. Para ele, na nova etapa, com mais tempo, poderá mostrar melhor quais propostas tem para a cidade.

Boulos recebeu o apoio do Partido dos Trabalhadores. Antes mesmo do resultado, o ex-presidente Lula já havia sinalizado que o PT apoiaria o candidato do PSOL em um eventual segundo turno. O candidato do PT, Jilmar Tatto, que teve 8% dos votos, anunciou que ligou para Boulos e mostrou apoio. O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, usou as redes sociais para parabenizar Boulos.