Bottas vence GP da Turquia, e Verstappen retoma liderança na F1

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em uma corrida na qual praticamente não foi incomodado, o finlandês Valtteri Bottas, 32, da Mercedes, venceu o GP da Turquia, neste domingo (10), à frente do holandês Max Verstappen, 24, da Red Bull.

O mexicano Sérgio Pérez, 31, completou o pódio em Istambul, enquanto o inglês Lewis Hamilton, 36, terminou em quinto lugar e contrariado com decisão da Mercedes sobre troca de pneus no fim da prova.

A seis etapas do fim da temporada, Verstappen reassume a liderança do Mundial de Pilotos com seis pontos à frente de Hamilton. O holandês contabiliza 262,5 pontos, e o inglês soma 256,5. Bottas é o terceiro, com 177 pontos.

Foi a décima vitória na carreira do piloto, que não terminava em primeiro desde 27 de setembro de 2020, no circuito de Sochi, na Rússia.

Curiosamente, no GP da Turquia do ano passado Bottas teve uma de suas piores atuações na F1. O finlandês rodou por seis vezes na pista, levou uma volta de Hamilton, o vencedor daquela corrida, e terminou apenas em 14º lugar.

Naquele 15 de novembro de 2020, Bottas classificou o seu desempenho como "desastroso". Desta vez foi diferente. "Já fazia um tempo que não vencia, e isso é bom. Essa é uma das melhores corridas que já fiz. Não é fácil escolher a estratégia nestas condições, é uma vitória bem merecida", afirmou o finlandês.

Verstappen deixou o circuito animado. “Não foi fácil hoje. Estou feliz por terminar em segundo e nestas condições teria sido fácil errar." As condições foram a pista molhada desde a largada, que foi secando ao longo da prova.

Hamilton, apesar de ser o mais rápido na etapa de classificação no sábado, largou da 11ª posição, a 210 metros do pole Bottas, seu colega de Mercedes. O inglês foi punido com a perda de dez posições em razão da troca em um dos seis componentes do motor.

O heptacampeão precisaria fazer uma prova de recuperação em Istambul. No mesmo circuito onde teve um desempenho inesquecível como piloto na GP2, hoje F2, em 2006, enquanto defendia a liderança do campeonato diante das investidas do brasileiro Nelsinho Piquet. Na ocasião, o inglês largou em sétimo, caiu para 17º e, na última volta, assumiu a segunda colocação. O austríaco Andreas Zuber venceu aquela corrida, mas com o pódio o inglês encaminhou a conquista do título.

Neste domingo, Hamilton viu o seu principal concorrente pelo título da F1 neste ano, Verstappen, largar na segunda posição, mas não conseguir atacar o pole Bottas. O inglês alcançou a quinta posição na 15ª das 58 voltas, mas teve dificuldades para ultrapassar Pérez, da Red Bull.

No momento mais emocionante da prova, Hamilton e Pérez travaram uma batalha pelo quarto lugar. O inglês atacou o mexicano, que conseguiu se defender.

Quando Pérez parou para troca de pneus, adotando os intermediários, Hamilton tomou a quarta posição. A Mercedes chamou Hamilton para realizar a mesma troca, mas o inglês resolveu não atender ao pedido e chegou ao terceiro lugar, deixando para trás o monegasco Charles Leclerc, 23, da Ferrari, que parou.

A oito voltas do final, o inglês foi novamente chamado a parar e atendeu, voltando em quinto lugar. Leclerc acabou em quarto.

O heptacampeão demonstrou, pelo rádio, irritação com a decisão da Mercedes e pediu para a equipe deixá-lo em paz.

“O [Esteban] Ocon chegou [ao final da corrida sem pit stop para a troca], então presumo que conseguiriam”, disse Hamilton, logo após sair do carro. “Ainda não tenho todas as informações, mas a minha intuição era ficar fora [dos boxes] e estou frustrado por não seguir meu instinto. Eu trabalho em equipe e fiz o melhor que pude com os conselhos que estava recebendo.”

CALENDÁRIO RESTANTE DA TEMPORADA 2021 DA F1​

24.out – GP dos EUA – Austin

07.nov – GP do México – Cidade do México

14.nov – GP de São Paulo – Interlagos / São Paulo

21.nov – GP do Qatar

05.dez – GP da Arábia Saudita – Jeddah

12.dez – GP de Abu Dhabi – Yas Marina

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos