Bottas diz que ano como 2018 seria fim da linha na Mercedes: “Assim que F1 funciona”

Redação GP

Valtteri Bottas acredita que teria sido dispensado pela Mercedes se tivesse repetido em 2019 o desempenho da temporada anterior na Fórmula 1. O #77 fechou o campeonato passado na quinta colocação, 161 pontos atrás de Lewis Hamilton, o campeão.

Bottas, que não venceu corridas em 2018, enfrentou a concorrência de Esteban Ocon, mas acabou com o contrato renovado, enquanto o francês fechou com a Renault. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Se eu tivesse tido uma temporada similar à de 2018, não acho que o time teria continuado comigo”, disse Bottas. “É assim que a Fórmula 1 funciona”, seguiu.

Valtteri Bottas (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)


Paddockast #46

OS 10 MELHORES PILOTOS DA DÉCADA


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM






“Isso é muito importante para mim e também para o bem bem-estar geral. Me divirto muito mais entre as corridas agora, e meio que me apaixonei pelo esporte, algo que talvez tenha perdido um pouco no fim do ano passado”, comentou. “Estou realmente curtindo a pilotagem e é uma temporada muito importante para mim. Agora, eu posso alegremente dizer outra vez que tenho muitos, muitos anos em mim, e tomara, ainda com o mesmo desenvolvimento”, torceu.

Ao longo da temporada 2019, Bottas esteve no pódio em 15 das 21 corridas. E poderia ter visitado o top-3 muito mais, não fosse um acidente na Alemanha, um erro na Hungria e uma quebra no Brasil. 

“Estou, definitivamente, com uma mentalidade muito diferente em comparação com o ano passado”, contou. “Eu estava contando os dias para o fim da temporada e eu pudesse me reencontrar e começar do zero outra vez. O último mês da temporada passado, parece que foi a muito, muito tempo”, lembrou.

A performance de 2019, aliás, se destacou e rendeu elogios a Bottas, que quer manter a mesma receita para o próximo ano.

“É melhor e um jeito mentalmente mais fácil de começar a temporada. Sinto que é importante ter bons resultados, não só nas últimas corridas”, considerou. “Não é 100% necessário, pois sei que, mesmo depois de uma temporada ruim, você pode comer uma nova temporada forte”, continuou.

“Mas é bom, também para o time, saber que eu posso ter performance por todo o ano, em cada pista, e aí eles sabem que eu, definitivamente, vou além em 2020”, concluiu.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo


O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.


Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.






Leia também