Botafogo x Vasco: final promove o encontro dos que caíram juntos, mas trilharam caminhos distintos

·2 minuto de leitura


Botafogo e Vasco se enfrentam neste domingo, no primeiro de dois duelos finais de uma Taça Rio que precederá a Série B do Campeonato Brasileiro. E ambos disputarão a segunda divisão nacional. O rebaixamento aconteceu, os times e clubes vivem momentos parecidos, mas nem tanto às vésperas do início da luta pelo retorno à elite.

O Glorioso foi rebaixado não só como lanterna, mas como dono da quarta pior campanha da história dos Brasileirões por pontos corridos. Jogou praticamente todo o segundo turno cumprindo tabela e se planejando para a temporada 2021. O Cruz-Maltino lutou até o fim, mas não teve força. Ambos precisaram se reconstruir.

O Botafogo foi se ajustando já durante as rodadas finais, mas houve uma grande reformulação no elenco. O Vasco trocou parte do elenco. Ambas as equipes trocaram de técnico: Marcelo Chamusca assumiu o mandante deste sábado e Marcelo Cabo chegou para o visitante. Os dois clubes tinham presidentes empossados há poucos meses.

Os dois clubes vivem o momento financeiro mais crítico de suas respectivas históricas. Se a Estrela Solitária vê na "S/A" a esperança de dias melhores, a Cruz de Malta aposta na reorganização interna para dar o salto definitivo rumo a um novo tempo. Mas o futebol não podia esperar. Ainda mais numa temporada emendada na outra.

-> Confira a tabela do Campeonato Carioca

Havia quem entendesse que o time de General Severiano, por ter tido mais tempo que o rival deste sábado para entender a nova realidade, pudesse ter vantagem na preparação. Longe disso. O Botafogo emendou seguidos tropeços e atuações ruins, colecionou empates, foi eliminado precocemente (mas de forma merecida) na Copa do Brasil e, antes da última rodada da Taça Guanabara, já não tinha mais chances de ir à semifinal.

A eliminação do Vasco no Campeonato Carioca se deu muito por conta das derrotas nas duas primeiras rodadas, quando o time que esteve em campo era formado por jovens de até 22 anos. Os reveses foram para Portuguesa e Volta Redonda, exatamente os pequenos que obtiveram vaga na semifinal. O elenco principal teve a reapresentação estendida e foi retornando aos trabalhos aos poucos. A evolução da equipe tem sido elogiada.

Cada time tem seus méritos e seus problemas. Os finais de semana que vêm aí servirão para os ajustes finos antes do início do objetivo maior de ambos: o retorno à elite nacional.