Botafogo vai extrapolar teto salarial para contratar meia e atacante, afirma presidente

Sergio Santana
·2 minuto de leitura


Depois de dez contratações, o Botafogo ainda não se dá como satisfeito no mercado. O clube de General Severiano ainda prevê, no mínimo, mais três reforços: um lateral-esquerdo, um meio-campista e um atacante. Tudo, claro, visando a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro.

+ Ídolo do Ceará, líder e com boa visão de jogo: conheça Ricardinho, reforço do Botafogo

O investimento, contudo, promete ser diferente daquilo que o Alvinegro vem apostando no mercado desde então. Eduardo Freeland, diretor de futebol do Botafogo, teve liberação para extrapolar o limite de teto salarial estipulado pelo clube para contratar um meio-campista avançado - o famoso "camisa 10" - e um atacante.

- A gente ainda está almejando contratar duas ou três posições com jogadores mais cascudos. Eu até liberei uma verba maior para contratar um "camisa 10" e um atacante, seja ponta ou centroavante, para dar mais solidez ao time. É para receber um salário acima do teto, até porque para trazer um cara desse nível não dá para trazer no nosso atual teto - afirmou Durcesio Mello, presidente do Botafogo, em entrevista exclusiva ao LANCE!.

+ Durcesio diz que Montenegro é o 'maior botafoguense da história', mas quer Botafogo 'livre de mecenas'

Com o rebaixamento para a Série B, o Botafogo teve uma queda nas receitas de televisão e cotas de patrocínios, o que gerou consequências na folha salarial do clube. Com um teto salarial mais humilde em comparação com o ano passado, Durcesio quer que essas dois expoentes de mais referência técnica possam receber um vencimento um pouco mais.

PROJETO APOIADO EM CHAMUSCA
Na casamata, o nome na cabeça de Durcesio Mello é apenas um: Marcelo Chamusca. O presidente afirmou que o projeto inicial é criar um vínculo duradouro com o atual treinador, não que seja algo pensando apenas em voltar para a Série A.

+ Contraproposta é fora da realidade, e rescisão de Kalou com o Botafogo fica estagnada

- Eu gostaria muito que fosse o Chamusca. Não posso afirmar porque tem coisas extras que podem sair do controle. Por mim, ele fica até o final do mandato (2024). Estou gostando muito dele, da pessoa que é, da competência dele. O time já está mostrando disso, muitos dos jogadores são os mesmos do ano passado. De maneira nenhuma eu penso em mantê-lo só para a Série B. Não estou falando que não vai acontecer, mas não é o meu plano. A ideia é renovar com ele - confessou o presidente.

O treinador, inclusive, possui dedo ativo nas contratações e indicações do Botafogo no mercado de transferências desde que chegou ao clube. Os nomes dos dois possíveis jogadores que chegarão com um salário acima do atual teto financeiro do Alvinegro passarão pelo crivo do comandante.