Botafogo não mostra evolução e Ramón Díaz terá trabalho

Sergio Santana
·2 minuto de leitura


O bastão foi passado para Ramón Díaz da pior maneira possível. O Botafogo não vence há seis jogos, foi eliminado recentemente da Copa do Brasil e está na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. O argentino começa a comandar o Alvinegro de forma oficial nesta terça-feira, mas os desempenhos recentes mostram que ele terá que suar desde o primeiro dia no Nilton Santos.

Da atual sequência negativa, três dos últimos jogos foram com Flávio Tenius , que assumiu interinamente enquanto o Botafogo procurava um substituto para Bruno Lazaroni - e conquistou um histórico de dois empates e uma derrota. O preparador de goleiros tentou colocar em prática novos conceitos - como a aparição de pontas em velocidade e Bruno Nazário pelo meio -, mas o desempenho foi aquém.

Ramón Díaz, antes de tudo, precisará colocar um direcionamento ao elenco. Com Bruno Lazaroni e já no fim da era Paulo Autuori, o Botafogo vem sendo uma equipe sem identidade tática e tampouco característica por adotar um estilo fixo de jogo.

O argentino, geralmente, gosta de equipes intensas no ataque, pressão em zonas centrais e escalas os times que treina em 4-4-2 tradicional, com duas linhas de quatro. Durante a carreira, contudo, 'Don Ramón' se adaptou ao estilo e peculiaridades dos elencos e próprias equipes.

Ao lado de uma extensa nova comissão técnica, Ramón terá seis dias de treinamento - praticamente uma semana - até a estreia, contra o Red Bull Bragantino, na próxima segunda-feira, às 20h, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Estádio Nilton Santos.

O novo treinador terá oportunidade - dentro do contexto do futebol brasileiro - para iniciar aquilo que entende como correto e começar os treinamentos táticos com o grupo do Alvinegro. Ramón Díaz também, vale ressaltar, também terá trabalho: a equipe não mostra respostas há muito tempo.