Botafogo e Fluminense fazem clássico do ‘desinteresse’

Um jogo em que a vontade de ganhar parece mínima e que de certa forma é um incômodo para os dois times. Assim pode ser definido o choque entre Botafogo e Fluminense, que se enfrentam neste domingo, às 16h(de Brasília), no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ), pelas semifinais da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca.

Caso vençam a Taça Rio nenhum dos clubes terá qualquer tipo de vantagem nas semifinais do Estadual, onde ambos estão garantidos. Sendo assim, o risco de perder jogadores não é visto como algo que vale à pena, mesmo com um prêmio de R$ 850 mil dados ao campeão do segundo turno. O Fluminense está vivendo um abril de decisões na Copa Sul-Americana, competição pela qual derrotou o Liverpool do Uruguai por 2 a 0 no meio de semana, na Primeira Liga e na Copa do Brasil. Por este último, pegará o Goiás no meio da próxima semana.

“Como todos mesmo estão falando, o ganhador dessa partida não vai ter vantagem nenhuma e o jogo vale muito pouco em termos de sequência no próprio Campeonato Carioca. Por isso mesmo analisamos bem em relação ao time que vamos escalar”, disse Abel Braga, comandante do Fluminense.

Pior ainda é a situação do Botafogo, que na segunda-feira viaja para a Colômbia para enfrentar o Atlético Nacional na quinta-feira pela Copa Libertadores. Como em seguida tem jogo com o Barcelona de Guayaquil no Equador, o Glorioso, caso vença o Fluminense, terá que pensar em uma logística fora do comum para jogar a final da Taça Rio.

“É realmente em termos de logística algo muito complicado, mas logicamente que pensamos sempre em ganhar e fazer o melhor pelo Botafogo. Não vamos enfrentar o Fluminense com o pensamento de não vencer. Queremos chegar até a final e depois pensamos em como faremos”, afirmou Jair Ventura, técnico do Botafogo.

Apesar dessa realidade definida pelos treinadores, os jogadores não pensam em ficar de fora da final.

“Para mim é uma decisão como qualquer outra, Garanto que no próximo domingo, o da final, todos vão querer estar em campo dando a volta olímpica e o Botafogo se credencia para isso. Queremos vencer o Fluminense e chegar até a final”, avisou o zagueiro Renan Fonseca, que na fase de classificação viu o seu Botafogo perder de 3 a 2 para o Tricolor depois de abrir vantagem de 2 a 0.

Abel Braga acredita nas palavras de Renan Fonseca e descarta o clima amistoso.

“É clássico. O pessoal do Botafogo está engasgado com a nossa equipe. Ninguém vai a campo pensando que é um amistoso. Estamos falando de Botafogo e Fluminense, um clássico de muita rivalidade e que é centenário. Te garanto que quando a bola rolar você não vai ver ninguém desinteressado”, disse Abel.

Em termos de escalação, Jair Ventura pode optar por improvisar o volante Fernandes na lateral direita para ver o rendimento do jogador, que deve assumir o setor na Colômbia. Isso porque Luis Ricardo não foi inscrito na Libertadores e Jonas e Marcinho estão no departamento médico. Peças como o meia Camilo e o atacante Sassá deverão ser as esperanças do Alvinegro.

O Fluminense só terá a escalação divulgada minutos antes do confronto. O que é certo é que o zagueiro Nogueira não será relacionado, uma vez que foi advertido com o terceiro cartão amarelo no empate por 1 a 1 com o Flamengo e terá que cumprir suspensão. Abel vai escalar um time alternativo, mesclando titulares e reservas.

Pelo regulamento o Botafogo tem a vantagem do empate porque fez a melhor campanha na fase de classificação. Se quiser chegar à decisão, o Fluminense tem a vitória como única alternativa.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO X FLUMINENSE

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 9 de abril de 2017 (Domingo)

Horário: 16h(de Brasília)

Árbitro: Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ)

Assistentes: Rodrigo Henrique Corrêa (RJ) e Daniel do Espírito Santo Parro (RJ)

BOTAFOGO: Gatito Fernández; Fernandes, Renan Fonseca, Igor Rabello e Gilson; Dudu Cearense, Rodrigo Lindoso, Bruno Silva e Camilo; Guilherme e Sassá

Técnico: Jair Ventura

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Renato, Reginaldo, Renato Chaves e Marquinhos Calazans; Luiz Fernando, Marquinho e Lucas Fernandes; Osvaldo, Marcos Júnior e Pedro

Técnico: Abel Braga