Botafogo cria, mas ainda precisa aprender a 'sofrer' para reconquistar o caminho das vitórias

João Alexandre Borges
·2 minuto de leitura


Na noite deste sábado, Volta Redonda e Botafogo empataram por 2 a 2, no estádio Raulino de Oliveira, em partida válida pela nona rodada do Campeonato Carioca. O resultado e o desempenho do Alvinegro dentro de campo evidenciaram um problema que aconteceu na oitava rodada e que ainda não foi resolvido: o Glorioso precisa aprender a "sofrer" para reconquistar o caminho das vitórias.

> Kalou fora: veja quem saiu e quem pode deixar o Botafogo

Este é o segundo jogo consecutivo em que o Botafogo começa melhor, cria oportunidades, abre o placar, mas fica só no empate. Contra a Portuguesa, na oitava rodada do Cariocão, foi assim. O Alvinegro conseguiu um gol relâmpago - também com Felipe Ferreira -, criou chances de fazer o segundo, porém, não conseguiu converter.

No último sábado, o cenário foi semelhante, só que ele ocorreu duas vezes. Logo após o 1 a 0, o Botafogo teve uma boa chance com Marco Antônio, que parou na boa defesa de Vinícius. Já no segundo tempo, Rafael Navarro colocou o Glorioso em vantagem com um bonito gol de cavadinha. Mesmo após o segundo, a equipe continuou em cima e poderia ter ampliado o placar e, assim, encaminhado a vitória. No entanto, ao invés disso, a zaga alvinegra deixou o artilheiro do campeonato, Alef Manga, sozinho, cara a cara com Douglas Borges - o camisa 11 do Voltaço não desperdiçou.

Após mais um empate, o treinador Marcelo Chamusca analisou a partida e admitiu que o Botafogo não teve consistência defensiva. Aliás, ele não se limitou a falar dos problemas apresentados na última linha de marcação. Chamusca destacou a necessidade de trabalhar o sistema de defesa como um todo.

- A gente não teve a consistência defensiva necessária para poder sustentar o resultado. Nos dois momentos nós estivemos na frente e vamos precisar trabalhar. Mas não é só a defesa, é o sistema defensivo como um todo, para começar a partir dos atacantes, depois com a linha de quatro com os extremas e com os volantes.

- Então, individualizar fica fácil, o importante é sempre a gente olhar o sentido coletivo. E a gente no sentido coletivo precisa ter um sistema defensivo mais consistente, não só para que consigamos manter e preservar o resultado, porque a gente teve essas possibilidades no primeiro tempo, quando estava 1 a 0, fazer o 2 a 0, aí o jogo ficaria um pouco mais tranquilo.

> Veja a tabela do Campeonato Carioca

Com o problema no sistema defensivo percebido por Chamusca, o Botafogo não tem tempo a perder e precisa se acertar rapidamente. O Alvinegro volta a campo nesta quarta feira, contra o ABC, no Frasqueirão, em Natal, em partida válida pela segunda rodada da Copa do Brasil.

Em caso de empate, o vencedor será conhecido nas penalidades. Portanto, caso o Botafogo queira uma classificação mais tranquila, precisará acertar o sistema defensivo e aprender a segurar a pressão do adversário.