Botafogo brilha na Colômbia e supera o campeão Atlético Nacional

Depois de 44 anos, o Botafogo voltou a conquistar uma vitória no exterior, pela Taça Libertadores. O Alvinegro de General Severiano derrotou o Atlético Nacional, da Colômbia, por 2 a 0 em partida disputada na noite desta quinta-feira, no estádio Atanasio Girardot, em Medellin. O resultado fez o Botafogo chegar aos seis pontos ganhos e ocupar a segunda colocação do Grupo 1, embora tenha a mesma pontuação do Barcelona, do Equador, que ocupa a primeira colocação, por critérios técnicos.

A vitória foi justa porque o Botafogo soube se defender muito bem da pressão imposta pelo adversário e mostrou objetividade para aproveitar as oportunidades que apareceram. Camilo e Guilherme, um em cada tempo, construíram o placar a favor da equipe carioca.

O jogo – O confronto começou em ritmo veloz com os dois times procurando o gol. No Botafogo, o meia Camilo caía pela direita para tentar descobrir espaços na defesa colombiana. Aos quatro minutos, Camilo recebeu ao lado da área e tentou alcançar Rodrigo Pimpão que entrava pela esquerda, mas o atacante alvinegro não conseguiu alcançar a bola.

A resposta do Atlético veio em cruzamento errado que obrigou o goleiro Gatito Fernandez a sair de soco para aliviar o perigo. Aos 11 minutos foi a vez de Dayro Moreno que bateu cruzado, mas encobriu o travessão.

Depois da pressão inicial do Atlético Nacional, o Botafogo passou a controlar mais o jogo, tocando a bola no meio campo enquanto buscava um espaço na defesa do time de Medellin.

Aos 17 minutos, após boa troca de passes na intermediária, Bruno Silva arriscou, mas a bola bateu na cabeça de Rodrigo Pimpão e saiu. Aos 20 minutos, Pimpão trocou passes com Victor Luiz e foi derrubado ao lado da área. Camilo fez a cobrança, mas a bola explodiu na barreira e a defesa aliviou o perigo.

O Atlético Nacional quase marcou o primeiro gol aos 22 minutos quando Bocanegra cruzou na área, a zaga alvinegra cortou mal e Dayro Moreno bateu forte. A bola chegou a passar por Gatito Fernandez, mas Joel Carli salvou. No rebote, Ibarguen cruzou rasteiro e Emerson Santos aliviou o perigo.

A pressão continuou e aos 27 minutos, Bernal dividiu com Emerson Silva na área e caiu pedindo pênalti, mas o árbitro mandou o jogo seguir.

O Botafogo encontrava dificuldades para penetrar na defesa colombiana, mas aos 33 minutos, Camilo bateu rasteiro e Armani fez uma boa defesa.

Aos 38 minutos, o Botafogo marcou o primeiro gol. Rodrigo Pimpão arrancou em velocidade pela esquerda e lançou João Paulo pela direita. O meia fez um lançamento preciso para Camilo que meteu a cabeça para colocar a bola nas redes.

O Atlético quase chegou ao empate aos 41 minutos. Ibarguen fez boa jogada pela direita e chutou forte, mas Gatito Fernandez desviou para escanteio.

Logo no primeiro minuto do segundo tempo, o atacante Rodrigo Pimpão tentou arrancar em velocidade e acabou sentindo um problema na virilha esquerda, após se chocar com Diaz. O artilheiro do Botafogo na temporada precisou ser substituído e Guilherme entrou em seu lugar. O Atlético Nacional passou a pressionar em busca do gol. mas a zaga alvinegra se comportava muito bem. Aos sete minutos, Ibargüen cruzou fechado e quase surpreendeu o goleiro Gatito Fernandez se esticou e fez a defesa.

Aos 15 minutos, após cobrança de escanteio na área colombiana, o Atlético recuperou a bola e Ibarguen arrancou em velocidade pela esquerda e chutou, mas Joel Carli salvou. O atacante recuperou a bola e foi derrubado por Rodrigo Lindoso. Na cobrança, a zaga alvinegra aliviou o perigo. Logo depois foi a vez de Moreno chutar cruzado e com muito perigo, assustando o goleiro do Botafogo.

A pressão do Atlético aumentou e a torcida pediu pênalti quando Joel Carli se enroscou com Ruiz na área. Logo depois, Camilo sentiu e deu seu lugar ao volante Fernandes.

Aos 25 minutos, o lateral Bocanegra recebeu na direita, driblou Victor Luiz e chutou com muito perigo, mas a bola saiu. O Botafogo se defendia da forma como podia e não conseguia sequer trocar passes.

O técnico Jair Ventura decidiu colocar Sassá em campo, mas o Botafogo seguiu preocupado apenas em se defender, enquanto a equipe colombiana pressionava, mas não conseguia superar a bem armada defesa do Alvinegro carioca.

Nos minutos finais, o Atlético Nacional passou a levantar bolas na área alvinegra, mas os zagueiros da equipe carioca se comportaram muito, rebatendo todos os lançamentos e garantiram a importante vitória.

Aos 47 minutos, o Botafogo marcou o segundo gol. Guilherme arrancou do seu campo, driblou Bocanegra e mandou um chute forte no canto esquerdo de Armani que não conseguiu alcançar a bola, definindo a vitória da equipe carioca.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO NACIONAL-COL 0 X 2 BOTAFOGO-BRA

Local: Estádio Atanasio Girardot, em Medellín (Colômbia)

Data: 13 de abril de 2017 (Quinta-feira)

Horário: 21h45(de Brasília)

Árbitro: Ulises Mereles (Paraguai)

Assistentes: Rodney Aquino (Paraguai) e Carlos Cáceres (Paraguai)

Cartão Amarelo: Macnelly Torres(Atlet).;Gatito Fernandez, Sassá(Bota)

Gols:

BOTAFOGO: Camilo, aos 38 minutos do primeiro tempo e Guilherme, aos 42 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO NACIONAL: Armani, Bocanegra, Nájera(Dájome), Alexis Henriquez  e Farid Dias;  Bernal(Aldo Ramirez), Diego Arias e Macnelly Torres; Ibargüen, Dayro Moreno(Mosquera) e Luiz Ruiz

Técnico: Reinaldo Rueda

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Emerson Santos, Joel Carli, Emerson Silva e Víctor Luís; Bruno Silva, Rodrigo Lindoso, João Paulo e Camilo(Fernandes); Rodrigo Pimpão( Guilherme) e Roger(Sassá)

Técnico: Jair Ventura