Botafogo avisou Federação Paraguaia sobre lesão de Gatito; problema do goleiro piorou após Eliminatórias

Sergio Santana
·2 minuto de leitura


Mesmo sem entrar em campo há cinco meses por conta de uma lesão, Gatito Fernández entrou em evidência no noticiário do Botafogo nesta semana. O goleiro foi criticado por Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente e membro do Comitê Executivo de Futebol, que o chamou de "covarde".

+ Galvão Bueno reage à carta de Montenegro, do Botafogo: 'Vai ter de entender qual é o seu tamanho hoje'

Gatito Fernández está fora de combate por conta de um problema sério no joelho direito. O Botafogo diagnosticou que o goleiro tinha uma lesão na região após a partida contra o Vasco, em São Januário, pela quarta fase da Copa do Brasil - na ocasião, o paraguaio foi titular, jogou os 90 minutos e o Alvinegro garantiu a classificação.

Apesar do problema físico, Gatito foi convocado para a seleção do Paraguai para os primeiros compromissos das Elimatórias, diante de Peru e Venezuela, no começo de outubro.

Dias depois do anúncio da lista da seleção nacional, o departamento médico do Botafogo enviou um documento à Federação Paraguaia dando detalhes sobre a situação de Gatito Fernández e indicando que, por conta do problema no joelho, o melhor seria que o goleiro não entrasse em campo e ficasse, ao menos, uma semana de repouso.

A ordem do Botafogo não foi respeitada e, mesmo sentindo dores, Gatito entrou em campo diante do Peru, no dia 8 de outubro, atuando por 90 minutos. O goleiro, inclusive, estava escalado para o duelo contra a Venezuela, dias depois, mas sentiu dores no aquecimento e não resistiu, indo para o banco. A lesão tinha sido potencializada.

Gatito retornou ao Botafogo com um problema muito maior e a lesão ainda mais agravada, já que ele fez esforço físico quando deveria estar repousando. O goleiro chegou a fazer treinamentos leves no campo anexo do Estádio Nilton Santos em dezembro, mas voltou a sentir dores na região e, atualmente, está andando com o auxílio de muletas.

- Não existe previsão (de retorno) nenhuma a curto prazo. O Gatito ainda sente dor no joelho, está entregue à transição e é goleiro, então precisa fazer movimentos específicos, fazer um passo a passo. Primeiro fechar a transição, parar de sentir dor. Está se esforçando, é um cara que está aqui de manhã, de tarde querendo estar junto com a gente. Ele quer ajudar, extremamente comprometido. Mas ainda sente dor, não está 100% recuperado. Qualquer pessoa que fale sobre em prazo sobre o Gatito estará errada - afirmou Eduardo Barroca, quando ainda era treinador do Botafogo, no fim de dezembro.

Com a lesão em um estágio estagnado, Gatito Fernández continua sob os cuidados da equipe de fisioterapia do Botafogo, com o intuito de retornar para ajudar o clube na próxima temporada.