Borrusia Dortmund acusa Barça de manipular Dembélé

Ousmane Dembélé domina bola antes de jogo do Borussia Dortmund

O diretor executivo do Borussia Dortmund, Hans-Joachim Watzke, acusou neste domingo o Barcelona de manipular o atacante Ousmane Dembélé, que há 10 dias cortou relações com o clube alemão com o intuito de forçar uma transferência.

"Vocês acreditam mesmo que um garoto de 20 anos decidiria sozinho de não comparecer mais aos treinos sem a aprovação do novo clube (Barça)?", questionou ironicamente o dirigente, em declarações à emissora Sky Sport.

Watzke afirmou que Dembélé terá que pedir desculpas caso queira voltar a jogar no Borussia Dortmund.

Questionado sobre o estado das negociações entre os clubes, Watzke confirmou que Borussia e Barça se reuniram quando "ainda tinha respeito por este clube, quando ainda achava que era uma instituição séria".

Nesta reunião, "constatamos que nossas posturas eram muito diferentes e finalizamos o encontro sem chegar a um acordo", completou o dirigente. Foi então que Dembélé cortou relações com seu clube.

"Acredito que há 50% de possibilidade da transferência ser concretizada", explicou Watzke, afirmando que o Borussia não irá aceitar proposta abaixo dos 130 milhões de euros pedidos pelo atacante francês.

"Ousmane simplesmente decidiu não fazer seu trabalho. Fez greve e foi suspenso. O jogador sequer pediu para que a punição fosse retirada".

O diretor esportivo do Borussia garantiu que, caso o Barça não pague os 130 milhões de euros pedidos, Dembélé "voltará ao time em 1 de setembro. Tenho certeza que voltará a ter vontade de jogar. Mas, se isso acontecer, terá que pedir desculpas ao clube e à equipe".

"Ousmane é um garoto muito simpático, mas o que ele fez não é legal. É normal que o clube tome providências devido a seu comportamento", concluiu.