Borja se anima com ida ao Olimpia: 'Meu ciclo no Palmeiras se cumpriu'

Palmeiras empresta Borja por um ano ao Junior Barranquilla, seu time do coração (Agência Palmeiras/Divulgação)
Palmeiras empresta Borja por um ano ao Junior Barranquilla, seu time do coração (Agência Palmeiras/Divulgação)


Miguel Borja já fala como jogador do Olimpia, a ponto de avaliar que o clube paraguaio pode ajudá-lo a estar bem na Libertadores. A negociação ainda não foi concretizada, mas o colombiano não esconde que sente que seu ciclo no Palmeiras se encerrou, mesmo com mais dois anos de contrato.

- É um tema familiar também. É hora de ter a mente um pouco mais tranquila, com minha esposa e minha família. Temos conversado para chegar a um acordo e a solução pode ser dar um passo diferente do que vem sento feito no Palmeiras. Meu ciclo no Palmeiras se cumpriu. Fui para o Palmeiras para ser protagonista da Libertadores e ganhar um título, pelo menos, e isso virou realidade - disse Borja à Win Sports, rede de televisão da Colômbia.

Borja terminou 2018 como artilheiro da Libertadores e também do Campeonato Paulista e conquistou o título brasileiro, única taça em três temporadas no clube. Agora, deve seguir por empréstimo ao Olimpia, sua preferência depois de receber ofertas de outros continentes.

- Está perto. Estamos conversando. Meu empresário já está conversando com a diretoria para chegar a um acordo. Queremos que, nos próximos dias, já se resolva tudo. Mas fala-se de um empréstimo com condição de compra se forem cumpridos os objetivos. Quero ser protagonista da Libertadores novamente, voltar a fazer gols, como no ano passado, e que a porta da seleção esteja aberta novamente - animou-se o centroavante.

- Havia outras ofertas fora da América do Sul, mas o ideal para mim, para voltar ao nível que quero e que sou conhecido, é estar em uma equipe em que me deem confiança, onde me sinta bem, que minha família se sinta bem. Estamos indo para uma equipe boa, três vezes campeã da Libertadores e também do mundo. É uma das maiores equipes da América do Sul. É o que queremos.

Ao concluir a aquisição de Miguel Borja, em operação finalizada em 17 de fevereiro de 2017, o Palmeiras pagou US$ 10,5 milhões (R$ 32,5 milhões na época) por 70% dos seus direitos econômicos. Ficou acertado que o Verdão teria de repassar 30% da venda do camisa 9 ao Atlético Nacional, seu último clube na Colômbia, ou, como ele não foi negociado até 17 de agosto de 2019, desembolsar US$ 3 milhões para ficar com 100% do jogador. Diante desse valor, o Verdão ainda não confirma tanta proximidade ao Olimpia.

- Existem algumas outras situações, uma específica do Olimpia, e vamos discutir nos próximos dias. O departamento de futebol vai avaliar, procurar entender e, depois da decisão tomada, encaminhar ao Conselho (Gestor, que avaliza as decisões no departamento de futebol) para tomar uma decisão - disse Anderson Barros, apresentado nesta quinta-feira à imprensa como novo diretor de futebol do Palmeiras.









Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também