Boris Becker se diz assustado por insultos recebidos na Alemanha após apoiar protestos contra racismo


O ex-tenista alemão Boris Becker afirmou ter se assustado com os insultos que recebeu de pessoas em seu país após manifestar apoio às manifestações antirracistas ao redor do mundo. O tricampeão de Wimbledon e dono de outros três títulos de Grand Slam sugeriu que sua nação não dá o devido valor ao assunto.

“Estou chateado, chocado e assustado com os inúmeros insultos, vindos apenas da Alemanha, pelo meu apoio à manifestação #BlackLivesMatters, ontem (sábado), em Londres”, escreveu Boris Becker, de 52 anos.

Ele prosseguiu com um questionamento:

“Tornamo-nos um país racista?”.

Becker entrou em uma lista repleta de atletas e ex-atletas que não se calaram diante de mais um episódio de violência policial contra um negro nos Estados Unidos. No dia 25 de maio, George Floyd, americano de 46 anos, foi sufocado por um policial branco de Minneapolis até a morte.

"Em nossa casa (na Alemanha), varremos um pouco tudo isso e colocamos debaixo do tapete, e é uma pena. Deveríamos conversar sobre isso muito mais abertamente", disse ele.

No sábado, manifestações em homenagem a Floyd reuniram milhares de pessoas na Alemanha. Foram 10 mil em Berlim, 8 mil em Frankfurt e Hamburgo, e 7 mil em Munique, segundo a polícia local.









Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também