Bontorin valoriza desafio em luta contra Borg e pede mais incentivo no peso-mosca

AgFight

Depois que conseguiu um contrato com o Ultimate, através do Contender Series, Rogério Bontorin manteve a boa fase e já tem duas vitórias seguidas na organização. Entretanto, neste sábado (25), o brasileiro vai ter um grande teste pela frente, quando encara o ex-desafiante ao título do peso-mosca (57 kg) Ray Borg. Empolgado com essa oportunidade, o lutador destacou sua confiança para confirmar seu nome entre os melhores da divisão.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o brasileiro ressaltou que fez um camp completo e sem problemas para enfrentar Borg. Questionado como pretende encarar esse desafio, já que seu rival costuma usar a luta agarrada e fugir da trocação, Bontorin afirmou que vai manter suas características e pretende mostrar seu poder de nocaute.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Me preparei muito bem para essa luta contra o Ray Borg. Confio que vai ser uma luta bem dura e com certeza vou sair com a vitória. Vim para fazer minha luta em pé e vou tentar acabar com esse combate antes dos três rounds. Sei que é uma oportunidade muito boa, é um cara que tem bastante lutas no evento. Vejo todo duelo como um teste, mas acho vai ser o grande desafio da minha carreira”, disse o paranaense de 27 anos.

Atualmente na sétima colocação do ranking dos moscas, Bontorin mira aproveitar o nome de Ray Borg na organização para subir mais degraus na classificação da categoria. Sua intenção é, caso confirme seu favoritismo nesse confronto, se aproximar de uma disputa de cinturão, que atualmente está vago e será disputado por Joseph Benavidez e Deiveson Figueiredo, no dia 29 de fevereiro. No entanto, o brasileiro fez uma crítica à organização pela falta de incentivo na divisão já que, segundo ele, conta com poucos lutadores.

“Vejo a categoria com muitos brasileiros, mas com poucos atletas. Acho que o UFC tinha que contratar mais lutadores. Tem pouca gente nos moscas. Agora a intenção é essa (subir muito no ranking da categoria). Acredito que estou preparado (para chegar na parte de cima). Vivo meu melhor momento. Mas estou com os pés no chão. Meu objetivo é o Ray Borg, ganhar dele e depois de quem colocar na minha frente para no futuro disputar o cinturão”, explicou.

No MMA profissional desde 2013, Rogério Bontorin tem um cartel com 16 vitórias, uma derrota e um ‘No Contest’ (luta sem resultado). No UFC, o brasileiro derrotou Magomed Bibulatov, por decisão dividida, e na sua última apresentação, em agosto de 2019, superou o compatriota Raulian Paiva, por nocaute, devido a um corte no rosto do rival.

Leia também