Bonner diz que 'cidadão de bem' sente mortes em Paraisópolis e é criticado nas redes

Homem protesta após morte de nove jovens em Paraisópolis - Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images
Homem protesta após morte de nove jovens em Paraisópolis - Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images

A morte de nove jovens depois de uma operação policial, no último final de semana, na comunidade de Paraisópolis, zona Sul de São Paulo, segue repercutindo no país inteiro. Na noite dessa segunda-feira (02), o âncora do Jornal Nacional, da TV Globo, William Bonner foi criticado nas redes sociais por utilizar a expressão “cidadão de bem” ao comentar a notícia.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Ao final de uma reportagem que mostrava um morador emocionado ao ver um jovem desacordado durante o tumulto instaurado na comunidade, William Bonner afirmou que “está doendo em todos os cidadãos de bem do Brasil e precisa ser apurado".

Leia também

O termo foi muito usado por políticos como Jair Bolsonaro (PSL-RJ) e João Doria (PSDB-SP) para tentar criar uma identificação com seus potenciais eleitores. No contexto da crescente polarização que se estabeleceu no país, estudiosos não aprovam o uso do termo, já que os valores de quem fala podem ser diferentes dos valores de quem ouve a expressão.

Nas redes sociais, muitos internautas criticaram o apresentador pelo emprego do termo ao comentar a tragédia. Uma delas dizia ser hipocrisia usar o termo para tentar diferenciar quem se comoveria ou não com as mortes dos jovens. Outra internauta lamentou o uso da expressão, dizendo que é, atualmente, “um tanto questionável".

Em outra postagem, um internauta classificou como “pejorativo” o termo utilizado pelo âncora. Segundo ele, “os que se autodenominam "cidadãos de bem" estão agradecendo a PM pelo ocorrido, o que é lamentável."

Leia também