Bom desempenho no clássico dá confiança ao Santos para estreia da Libertadores

CLAUDINEI QUEIROZ E EDER TRASKINI
Folhapress

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Santos já fez oito jogos no Campeonato Paulista e lidera o Grupo A com folga, mas ainda não conseguiu convencer a torcida. O empate sem gols com o Palmeiras, no sábado (29), porém, deu um novo ânimo ao grupo para a estreia na Libertadores, nesta terça-feira (3), às 19h15 (de Brasília), contra o Defensa y Justicia, em Buenos Aires (Argentina).

A confiança é tudo o que o técnico Jesualdo Ferreira quer para fazer com que sua equipe deslanche de vez. Após o clássico, ele elogiou o desempenho do time, mas deixou claro que ainda tem muito a melhorar.

"Para mim, ganhamos muito com esse jogo [clássico]. Os jogadores estão muito mais confiantes. Com essa modificação, pela forma como foram capazes de interpretar um plano diferente, houve pontos a nosso favor, conquistas a nosso favor e um trazer de confiança a nossos jogadores. Tenho que cumprimentar meus jogadores pela forma como foram do primeiro ao último minuto com o objetivo de ganhar", comentou.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O grande problema é que o Santos não sabe o que é balançar as redes adversárias há mais de 300 minutos. Já são três jogos de seca e pode igualar o recorde negativo de 2018, quando chegou a deixar o grito de gol preso na garganta do torcedor por quatro jogos consecutivos.

Sem contar o ano de 2018, o clube só ficou sem marcar gols por quatro jogos seguidos mais uma única vez neste século: em 2012, entre as rodadas 9 e 12 do Brasileiro.

Atualmente, o Santos passou em branco nos empates com Ferroviária e Palmeiras, além de não ter marcado na derrota para o Ituano. O último gol saiu na vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo-SP.

Para evitar a sequência negativa, o técnico terá uma missão complicada pela frente. Apesar de ser apenas o nono colocado no Campeonato Argentino, o Defensa y Justicia, que é comandado pelo ex-centroavante Hernán Crespo, deu prova de força no último sábado ao empatar por 1 a 1 com o River Plate, no Monumental de Núñez.

Mais um motivo para o Santos mostrar sua força e voltar para casa com a vitória na bagagem.

DEFENSA Y JUSTICIA

Unsaín; Breitenbruch, Rodríguez, Martínez e Duarte; Botta, Benítez, Cerro e Cardozo; Pizzini e Lucero. T: Hernán Crespo.

SANTOS

Everson, Madson, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Felipe Jonatan) e Luan Peres; Evandro, Sánchez e Diego Pituca; Yuri Alberto, Eduardo Sasha e Soteldo. T.: Jesualdo Ferreira.

Estádio: Norberto Tomaghello, em Buenos Aires (Argentina)

Horário: 19h15

Árbitro: Gustavo Tejera (URU)

Leia também