Bolsonaro especula sobre ter Moro como seu vice em 2022: "Uma chapa imbatível"

Eraldo Peres/AP
Eraldo Peres/AP

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Bolsonaro falou com entusiasmo sobre a possibilidade de lançar candidatura com o ministro da Justiça, Sergio Moro, para as eleições de 2022.

  • "Nós somos Zero Um e Zero Dois. Tem de ver se ele quer. Nunca entrei em detalhes com ele sobre esse assunto, até porque é cedo demais para discutir, causa ciúme.”

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Em entrevista à edição desta semana da revista Veja, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) falou com entusiasmo sobre a possibilidade de lançar candidatura com o ministro da Justiça, Sergio Moro, para as eleições de 2022.

"Nós somos Zero Um e Zero Dois. Tem de ver se ele quer. Nunca entrei em detalhes com ele sobre esse assunto, até porque é cedo demais para discutir, causa ciúme. Você daria um sinal de que não está satisfeito com o [vice, Hamilton] Mourão, e da minha parte está tudo tranquilo com o Mourão. O Moro não tinha uma vivência política. A cabeça dele enquanto juiz pensava assim: 'Se eu fosse presidente, faria isso'. Agora ele conhece a realidade. Mas seria uma chapa imbatível", declarou.

Leia também

Divulgada na segunda semana de dezembro, pesquisa realizada pelo Datafolha mostrou que o presidente tem 30% de popularidade, a menor taxa em relação a Dilma Rousseff (59%), Lula (42%) e Fernando Henrique Cardoso (41%), para o término do primeiro ano de mandato. Além disso, está atrás da popularidade de seu ministro da Justiça, Sergio Moro, que alcança 53%.

Moro negou, em outubro passado, que sairia candidato a vice-presidente e que se filiaria ao Podemos. Ele manteve o compromisso de manter seu cargo até o fim do governo e disse que seu candidato para o próximo pleito seria Bolsonaro.

"Eu digo ao presidente que essas notícias sobre uma eventual candidatura minha são intrigas. Ele sabe que eu não vou ser candidato. Primeiro por uma questão de dever de lealdade. Como é que você vai entrar no governo e vai concorrer com o político que o convidou para participar do governo?", argumentou o ex-juiz a Veja.

"Também não vou me filiar ao Podemos nem vou ser candidato a vice. Não tenho perfil político-partidário. Meu candidato em 2022 é o presidente Bolsonaro e pretendo fazer um bom trabalho como ministro até o fim", encerrou.

Leia também