Segunda na semana: Bolsonaro exonera Secretario de Cultura há apenas dois meses no cargo

(AP Photo/Eraldo Peres)
(AP Photo/Eraldo Peres)

Há apenas dois meses no comando da Secretaria Especial de Cultura, subpasta do Ministério da Cidadania, o economista Ricardo Braga foi exonerado do cargo nesta quarta-feira (6). Na segunda-feira (4), o pianista Miguel Proença foi exonerado do posto de presidente da Funarte (Fundação Nacional de Artes) — esta motivada por alinhamento ideológico.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Ele deixa a área de cultura do governo Bolsonaro para assumir a Secretaria de Regulação e Supervisão do Ensino Superior, órgão do Ministério da Educação que aprova o credenciamento de novas faculdades e a abertura de cursos na rede particular. Braga substitui Ataide Alves no posto do MEC.

Leia também

As mudanças foram publicadas no Diário Oficial da União.

Braga assumiu a pasta da Cultura após Henrique Pires, que ocupou o mesmo cargo, pedir demissão em agosto. 

Na ocasião, Pires disse que preferia "cair fora" a "ficar e bater palma para censura". Ele se referia ao cancelamento de um edital da Ancine que previa financiamentos a produções audiovisuais, entre elas filmes com temática LGBT.

A nomeação de Braga no início de setembro foi criticada pelo setor por sua falta de experiência na cultura.

Ele se formou em economia pelas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU-SP) e fez trajetória profissional em bancos e corretoras de investimento.

O Ministério da Cidadania ainda não informou quem será o novo secretário no lugar de Braga.

Com FOLHAPRESS

Leia também