Bolsonaro diz que Soleimani 'não é general'

Bolsonaro afirmou que o líder iraniano morto pelos EUA 'não era general'. (Foto: Isac Nóbrega/PR)
Bolsonaro afirmou que o líder iraniano morto pelos EUA 'não era general'. (Foto: Isac Nóbrega/PR)

O presidente Jair Bolsonaro disse, nesta segunda-feira (6), que Qasem Soleimani “não é general” e que a morte do líder iraniano não teve impactar tanto o preço dos combustíveis no Brasil mesmo com a tensão entre Estados Unidos e Irã.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Reconheço que o preço [dos combustíveis] está alto na bomba. Graças a Deus, pelo que parece, a questão lá dos Estados Unidos e Iraque, do general lá que não é general e perdeu a vida [Soleimani], não houve... O impacto não foi grande. Foi 5% passou para 3,5%. Não sei quanto está hoje a diferença em relação ao dia do ataque. Mas a tendência é estabilizar", afirmou o presidente na saída do Palácio da Alvorada.

Leia mais sobre o conflito entre Estados Unidos e Irã

Centenas de milhares de iranianos foram às ruas de Teerã para o funeral do general Qasem Suleimanimorto por um ataque dos EUA na semana passada. Em um discurso transmitido pela TV estatal, Zeinab, filha do comandante, disse que a morte de seu pai trará um "dia escuro" para os Estados Unidos.

"Trump louco, não pense que tudo está terminado com o martírio do meu pai", afirmou.

REUNIÃO

Apesar da avaliação positiva, o governo tem reuniões ao longo desta segunda para tratar de eventuais impactos da crise sobre o preço dos combustíveis no Brasil. Bolsonaro deve participar de algumas dessas conversas.

Leia também