Bolsonaro é criticado por ida ao STF para defender volta da economia

Yahoo Notícias
Presidente Jair Bolsonaro após audiência com presidente do STF, Dias Toffoli, acompanhado de ministros e empresários (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)
Presidente Jair Bolsonaro após audiência com presidente do STF, Dias Toffoli, acompanhado de ministros e empresários (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)

Na manhã desta quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro foi ao Supremo Tribunal Federal (STF), juntamente a uma comitiva de ministros e empresários, defender a necessidade de retomada econômica. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

A ação foi vista por lideranças partidárias como pressão para que a corte altere decisão que deu autonomia para estados e municípios decidirem sobre medidas de isolamento social.

Leia também

Bolsonaro atravessou a pé a Praça dos Três Poderes, quatro dias depois de participar de ato popular no qual manifestantes criticaram o Supremo Tribunal Federal. “Não vamos admitir mais interferências”, disse o presidente em live transmitida por sua conta no Facebook.  

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

A audiência desta quinta, com o presidente do STF, Dias Toffoli, foi convocada de última hora, após uma reunião do presidente com empresários no Palácio do Planalto. 

“Guedes e Bolsonaro organizaram uma marcha da estupidez e da morte em direção ao STF, com um séquito de empresários, para coagir a Corte, colocar a crise no colo dos ministros e terceirizar suas responsabilidades. No caminho, pisaram nos 8,5 mil mortos que a Covid-19 já deixou”, disse Roberto Freire, presidente do Cidadania.

A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) cobrou do governo federal a adoção de medidas de prevenção ao coronavírus antes da volta da atividade econômica.

“Bolsonaro pede ao STF que determine o fim do isolamento social, mas até agora o presidente não tomou sequer uma medida para garantir que a retomada não coloque mais vidas em risco. A OMS já recomendou seis ações que todos os países devem tomar antes de reabrir. Quantas cumprimos?”, questionou.

Segundo a deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL-RS), líder do partido na Câmara, “a única coisa que podemos aprender com a ida ao STF de Bolsonaro e Guedes (junto a 15 lideranças empresariais) é que os únicos sinais vitais que lhes interessa é o do lucro dos milionários empresários brasileiros”. “O lucro sempre pode esperar, as vidas não”.

De acordo com o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, o Brasil já registrou 125.218 casos de coronavírus e 8.536 mortes pela doença.

Leia também