Bolsonaro chega a cerimônia em Rolls Royce pilotado por Nelson Piquet

·2 min de leitura
BRASILIA, DF,  BRASIL,  07-09-2021, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro chega em carro aberto, dirigido pelo piloto Nelson Piquet, para a cerimônia de hasteamento da bandeira no Palácio da Alvorada. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
BRASILIA, DF, BRASIL, 07-09-2021, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro chega em carro aberto, dirigido pelo piloto Nelson Piquet, para a cerimônia de hasteamento da bandeira no Palácio da Alvorada. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro chegou na solenidade de hasteamento da bandeira, em frente ao Palácio do Planalto, nesta terça-feira (7), guiado pelo ex-piloto de Fórmula 1 Nelson Piquet, no Rolls Royce presidencial, com crianças à bordo. Um, inclusive, estava no colo do mandatário.

As Forças Armadas cancelaram o desfile do feriado da Independência neste ano e no passado, devido à pandemia. O evento desta manhã substituiu a solenidade militar.

Bolsonaro foi recebido aos gritos de "mito" por seus apoiadores no local. Antes do evento, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e alguns ministros também foram ovacionados pela plateia de algumas centenas de bolsonaristas.

Ao menos dez ministros participaram ao lado de Bolsonaro: Anderson Torres (Justiça), Onyx Lorenzoni (Trabalho), Paulo Guedes (Economia), Braga Netto (Defesa), Augusto Heleno (GSI), Flávia Arruda (Secretaria de Governo), João Roma (Cidadania), Tereza Cristina (Agricultura), Ciro Nogueira (Casa Civil) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) e parlamentares como o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), e Hélio Lopes (PSL-RJ) também compareceram.

Bolsonaro quer usar a data também para mostrar a unidade de seu gabinete. Antes do evento militar, houve café da manhã no Palácio do Alvorada.

A cerimônia conta com a ida de 18 paraquedistas ao Palácio da Alvorada, seguido da entrega da bandeira a Bolsonaro por um deles. Depois do hino nacional, houve uma salva de 21 tiros de canhão. Ao final da cerimônia, a Esquadrilha da Fumaça fez uma apresentação.

APOIADORES AGUARDAM PRESIDENTE

O público está concentrado na barreira montada pela segurança em frente ao Congresso. Há dezenas de caminhões e carros estacionados em frente aos ministérios e a poucos metros do Congresso, apesar de as avenidas da Esplanada estarem fechadas. Na madrugada, manifestantes furaram o bloqueio da polícia e invadiram a Esplanada.

Diversos manifestantes carregam faixas com pedidos golpistas, como intervenção militar ou fechar o STF e o Congresso. Uma larga bandeira amarrada em caminhões afirma que os manifestantes só vão deixar Brasília quando todos os ministros forem destituídos.

Há também automóveis e concentração de manifestantes em frente ao Itamaraty. Eles tentam forçar a passagem pelo bloqueio da polícia, no caminho que leva ao Supremo. Grupos também acampam em frente aos ministérios. Uma faixa em frente as barracas paradas no jardim do Ministério da Agricultura pede impeachment dos ministros do STF e voto impresso.

Policiais chegaram a dispersar os manifestantes neste ponto com gás pimenta, por volta de 7h30, segundo policiais que acompanharam a ação. A polícia acompanha a entrada dos manifestantes em alguns pontos da Esplanada e retira cabos de bandeira, entre outros objetos proibidos.

Mas há lacunas. A reportagem da Folha de S.Paulo entrou na avenida sem ser revistada. Em frente ao Congresso, manifestantes também carregam bandeiras com cabos de madeira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos