Bolsonarista, Zé Love é questionado sobre apoio a Robinho e Neymar

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP - O centroavante Zé Love, que teve passagem pelo Santos em 2011. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP - O centroavante Zé Love, que teve passagem pelo Santos em 2011. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ex-jogador do Santos e atualmente no Cianorte, do Paraná, o centroavante Zé Love criticou a eleição para presidente deste ano, onde o candidato Luís Inácio Lula da Silva (PT) venceu a disputa com o atual presidente Jair Bolsonaro (PL), que concorria à reeleição. Na tarde de ontem (31), o campeão da Libertadores em 2011 com o Peixe publicou no Twitter algumas frases criticando a eleição do petista:

"Eu só não sei o que vou dizer ao meu filho, se ele me perguntar por quê um ex-presidiário agora é presidente. Sinceramente não sei que falar", diz uma das publicações.

"Antes de tudo o ocorrido (estupro), o Robinho fez algo por mim e pela minha família que sempre serei grato a ele, e sobre meu filho venho educando ele junto com minha esposa justamente para que ele não cometa erros futuros, que não roube, que respeite o próximo, que seja educado, que respeite todos os gêneros, e sobre a condenação isso não cabe a mim ter que discutir com você, isso é coisa da justiça, e se tiver que pagar pelos seus erros, pagará em qualquer lugar, porque a justiça ainda pode falhar, mas a divina jamais!"

No início da tarde de hoje (31), Zé interagiu com Neymar ainda no Twitter, sobre ter sido provocado pela influencer Nath Finanças, que ironizou o atacante do PSG, dizendo que ele pediu ajuda para declarar o Imposto de Renda. Vale lembrar que Neymar é outro atleta declaradamente bolsonarista.

Após a vitória de Lula, petistas reunidos na Avenida Paulista, em São Paulo, provocaram Neymar com o cântico "Ei, Neymar, vai ter que declarar!" -- por isso a influenciadora usou o Imposto de Renda para zombar do jogador. O cântico era uma referência às dívidas fiscais do jogador. Em 2019, quatro dias após entrar com um recurso no Carf, o pai de Neymar se reuniu com o ministro Paulo Guedes para tratar do assunto, que também está sendo analisado pela Justiça. Desde então, pai e filho se engajaram na mobilização do presidente e, durante a campanha, defenderam sua reeleição. O jogador participou até de uma live com Bolsonaro e prometeu dedicar seu primeiro gol na Copa do Qatar a ele.

Procurado pela reportagem, Zé Love disse: "Não tenho interesse em responder, o que eu tinha para falar está lá no meu Twitter."