Bola aérea vira ponto fraco da defesa do Inter em 2020; veja quem mais perdeu disputas com rivais

Fabio Utz
·2 minuto de leitura

O Internacional que vai estrear no Campeonato Brasileiro neste sábado, diante do Coritiba, chega para a competição tendo disputado 20 jogos na temporada. Foram apenas três derrotas (todas para o Grêmio) e 13 partidas sem ser vazado. Porém, há um problema a ser corrigido, como mostra estatística trazida pelo Uol Esporte.

Dos 11 gols sofridos, 7 (63,3%) tiveram origem em cruzamentos (ou bolas enfiadas) para a área, sendo quatro oriundos do lado direito de defesa e três do lado esquerdo. Ou seja, a bola aérea se apresenta como o terror da defesa vermelha em 2020. Exceção feita a duas conclusões ocorridas após cobrança de escanteio, todos os demais se deram com bola rolando, ou seja, era possível interceptar o levantamento se o ataque rival não levasse vantagem.

Com a bola no ar, o zagueiro Víctor Cuesta foi quem mais perdeu disputas pelo alto: 4. Rodrigo Moledo, Rodinei e Moisés (1 cada) também acabaram superados. No clássico Gre-Nal da última quarta-feira, que culminou na eliminação do Inter do Campeonato Gaúcho, o Grêmio chegou a fazer "tabelinha" de cabeça para abrir o placar com Maicon. No segundo gol, a defesa não conseguiu afastar uma bola teoricamente fácil, mais uma vez oriunda dos pés de Everton. O duelo mais recente apenas comprovou esta limitação colorada. Afinal, virou rotina os rivais fazerem a festa pelo alto dentro da área vermelha.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique aqui.

Para mais notícias do Internacional, clique aqui.