FIA e F-1 decidem mudar limite de combustível nos carros a partir de 2019

EFE

Madri, 17 abr (EFE).- A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e o grupo que administra a Fórmula 1 se reuniram nesta terça-feira para debater mudanças na categoria, inclusive para a próxima temporada, que terá como uma das novidades, o aumento do peso mínimo de combustível no carro durante uma corrida.

Em 2019, o consumo passará de 105 para 110 quilos, o que permitia que os pilotos "poderem usar o motor em potência máxima o tempo todo", aponta comunicado divulgado pela entidade presidida pelo francês Jean Todt.

Outra novidade no mesmo campo é que o peso do carro será separado do peso do condutor.

Por fim, no encontro de hoje foi definido que todos os pilotos deverão utilizar luvas biométricas. A medida visa aumentar a segurança e facilitar o resgate médico durante as corridas.

Depois das definições para o próximo ano, os dirigentes começaram a debater as unidades de potência que serão utilizados a partir de 2021. FIA e a administração da F-1 decidiram manter motor com 1,6 litro de capacidade, V6 e turbo híbrido.

Os dirigentes, no entanto, optaram eliminar o MGU-H, o sistema de recuperação de energia.

Agora, o Departamento Técnico da FIA se reunirá em maio com os fabricantes de motor atuais e potenciais na categoria, para debater mais detalhadamente como será o equipamento a partir de 2021. EFE


Leia também